Prefeitura instala tomógrafos em comunidades e bairros para permitir diagnóstico precoce da Covid-19

Publicado em 03/06/2020 - 12:14 | Atualizado em 14/06/2020 - 12:15
Tomógrafo instalado na Rocinha. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Um dos pontos de destaque nas ações da Prefeitura do Rio para o combate ao novo coronavírus é a instalação de tomógrafos em vários bairros da cidade, oferecendo um diagnóstico rápido e eficaz das condições pulmonares do paciente. Os resultados dos exames permitem o tratamento logo no início da doença, evitando que as pessoas infectadas alcancem um estado de gravidade tal que demande uma internação em UTI. Neste domingo (14/06), foi a vez da comunidade de Rio das Pedras receber o equipamento, que foi instalado na Clínica da Família Otto Alves de Carvalho.

– Esses tomógrafos são verdadeiras máquinas de salvar vidas. Em pouquíssimo tempo construímos locais e instalamos 12 desses em vários pontos da cidade. Se tivéssemos que escolher entre deixar de legado uma Olimpíada com corrupção, equipamentos sem utilidade e prisões; ou tomógrafos e respiradores, em um parque tecnológico de saúde, não teríamos dúvidas: preferimos o que estamos fazendo – afirmou Crivella.

O município, com isso, tem sido um dos que cumprem portaria do Ministério da Saúde para instituir Centros Comunitários para o Enfrentamento da Covid-19. Em várias unidades de saúde cariocas, além do tomógrafo, há espaços de acolhimento imediato para os cidadãos cujos exames detectam alguma anormalidade.

Tomógrafo instalado na Rocinha. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

 

Investimento muito antes da pandemia

Desde 2017, já foram adquiridos 27 tomógrafos. Desses, 23 já estão instalados – 16 em pleno funcionamento – em unidades como os hospitais Albert Schweitzer; Salgado Filho; Pedro II; Lourenço Jorge; Miguel Couto; Ronaldo Gazolla; Souza Aguiar; Rocha Faria; Evandro Freire; Francisco da Silva Telles – Irajá; Hospital da Piedade (falta conclusão de obra para funcionar); Campanha/Riocentro; Policlínica Rodolpho Rocco – Del Castilho; Policlínica Guilherme da Silveira – Bangu; Policlínica Lincoln de Freitas Filho – Santa Cruz; Pavuna – estacionamento do Shopping; UPA da Cidade de Deus; Centro Municipal de Saúde Belizário Pena – Campo Grande; Clínica da Família Adib Jatene – Maré; UPA de Madureira; Rocinha; e Recreio do Bandeirantes. O próximo será instalado no Hospitais Mario Kroeff (cessão Prefeitura para hospital filantrópico).

Cada tomógrafo tem capacidade para realizar 1.200 exames por mês. Além desses aparelhos, cada centro de imagem conta também com um aparelho de Raio X. Foram comprados 162 aparelhos de Raio-X.

 

Equipamento de raio X instalado na Rocinha. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Os locais escolhidos para a instalação são os com maior concentração de pessoas. Há espaços em que os tomógrafos já foram instalados e o início de funcionamento depende apenas de testes e adequação técnica dos equipamentos. Os de Del Castilho, Bangu, Santa Cruz, Campo Grande e Pavuna já estão funcionando.

Na atual gestão, a renovação do parque tecnológico da rede municipal de saúde recebeu investimento de R$ 370 milhões. Foram comprados mais de 18 mil equipamentos de última geração, adquiridos com a finalidade de oferecer à população um atendimento digno e de qualidade. Entre os novos equipamentos comprados pela Prefeitura estão 726 respiradores, fundamentais para equipar leitos de UTI para tratamento de pessoas infectadas pelo coronavírus. Os aparelhos foram comprados no final do ano passado a preços mais baixos (US$ 12 mil dólares cada) e com melhores condições de parcelamento (valor dividido em 60 vezes).