Uso corporativo do Taxi.Rio vai gerar economia de cerca de R$ 30 milhões por ano

Publicado em 28/05/2019 - 19:32 | Atualizado em 29/05/2019 - 14:49
Cadastrados no aplicativo recebem diploma de Taxista Boa Praça no Palácio da Cidade. Foto: Prefeitura do Rio/Paulo Sérgio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, apresentou nesta terça-feira, 28 de maio, no Palácio da Cidade, novidades implementadas no aplicativo de mobilidade Taxi.Rio, que completou 18 meses de operação. Pioneira na gestão pública de táxis no país, a plataforma conta atualmente com mais de 25 mil taxistas cadastrados (do total de 55 mil que circulam pela cidade), e desde sua criação já concedeu R$ 71 milhões em descontos aos passageiros, com mais de 7 milhões de corridas realizadas, com média de 20 mil viagens por dia.

 – O Taxi.Rio mostrou que era mentira aquele negócio de dizer que o Uber ganhou porque tratava bem o passageiro, que taxista era mal educado. A avaliação do Taxi.Rio é quase cinco. As pessoas gostam do taxista, respeitam, veem nele um amigo. Quando eu vejo 210 milhões movimentados pelo aplicativo, quantos colegas nossos não estão mudando de vida? Fora as cidades que estão usando nosso exemplo – afirmou o prefeito, que recordou ter trabalhado no passado como motorista de táxi.

Entre as novidades anunciadas estão a disponibilização do módulo corporativo para o transporte de pacientes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a utilização da modalidade também por outros órgãos da Prefeitura. Outra inovação é a parceria em eventos realizados na cidade.

O processo de solicitação das corridas pelos passageiros passou por melhoria. A partir de agora, o taxista mais perto do ponto de embarque do passageiro recebe as informações da corrida para realizá-la. Com isso, o tempo para embarque diminuirá, garantindo agilidade na utilização do serviço.

Taxista há 32 anos, Evaldo Souza Lima usa o aplicativo desde o início da operação e enumera as vantagens da plataforma: “O retorno tem sido o melhor possível. A plataforma não cobra nada do taxista e a demanda é muito grande. Não fico mais parado esperando passageiro”.

Taxista há 32 anos, Evaldo diz que com aplicativo não espera mais passageiro. Foto: Prefeitura do Rio/Paulo Sérgio

Uso corporativo vai gerar economia

No último 18 de março, a Prefeitura publicou o Decreto Rio Nº 45.716, que regulamenta o Taxi.Rio Corporativo como alternativa ao aluguel de veículos e contratação de serviços de cooperativas de táxis. O objetivo é reduzir custos associados ao transporte dos servidores públicos. Funcionários municipais, em serviço, poderão solicitar a plataforma para seu deslocamento. Através do aplicativo é possível também fazer o acompanhamento dos gastos, por intermédio de um sistema de gestão desenvolvido pela IplanRio. Não há cobrança de qualquer taxa ao taxista decorrente da intermediação das corridas pelo Taxi.Rio.

Com a regulamentação do sistema corporativo, os contratos de locação de veículos poderão ser substituídos pelo uso dos táxis cadastrados na plataforma. “O módulo corporativo já realizou 1.454 corridas, trazendo uma economia significativa para a Prefeitura. Mas isso ainda é pouco frente o grande potencial de economia que ainda temos. Nove secretarias aderiram e a nossa expectativa é que a economia da prefeitura com veículos seja de 30 milhões por ano”, explicou o vice-presidente da IplanRio, Julio Urdangarin.

Parcerias em eventos

A plataforma disponibilizará um ponto de táxi exclusivo no evento Rio Montreux Jazz Festival, que será realizado de 6 a 9 de junho, no Pier Mauá. Seguindo um sistema de meritocracia, 400 taxistas com as melhores avaliações do Taxi.Rio serão selecionados para trabalhar durante os quatro dias de evento. A parceria prevê que os taxistas participantes darão 20% de desconto nas corridas ao público do evento.

Mais números do Taxi.Rio nos 18 meses de operação

– 33,7%: desconto médio oferecido pelos taxistas;

– 5 minutos: tempo médio para embarque;

– 507.000: total de passageiros cadastrados.

  • 28 de maio de 2019