Prefeitura chama empresa para sanitização especial: ação promete matar vírus e cria camada protetora por meses

Publicado em 09/04/2020 - 17:50 | Atualizado em 09/04/2020 - 18:26
O objetivo é orientar os consumidores sobre os seus direitos e deveres nesse momento tão delicado de pandemia

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, recebeu nesta quinta-feira, 09/04, executivos de uma empresa que iniciará um trabalho de sanitização em diferentes pontos da cidade. Crivella levou os empresários ao hospital de campanha da Prefeitura, já com 90% das obras prontas no Riocentro.

– Estamos conversando com um fornecedor a respeito de um produto que, ao ser passado, dura meses na superfície, deixando a área desinfetada. Cria uma espécie de verniz. Eles nos dão garantia de que, se tiver qualquer vírus, ele morre. Será uma ajuda fundamental para passarmos em todos os nossos ônibus, maçanetas de repartições públicas, onde há muitas pessoas manipulando, nos corrimãos de todas as passarelas, nas subidas de favelas, nas estações de BRT e em outros lugares – disse o prefeito.

Crivella deixou claro, contudo, que a sanitização não é uma solução mágica, mas um apoio importante para lidar com a pandemia no Rio.

– Isso vai aumentar muito a nossa segurança, embora devamos continuar nos protegendo de todas as formas e seguindo as medidas. Principalmente, ficando em casa e lavando as mãos – acrescentou.

PREFEITO CONVERSA COM MINISTRO BRAGA NETO

Em outra frente, Crivella conversou logo cedo com o ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, a quem reforçou o apelo para os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) buscarem na China, antes do prazo previsto para entrega – em maio – os respiradores e demais equipamentos comprados pela Saúde do município.

– Tive hoje uma ótima conversa com o ministro Braga Netto, que me disse já estar providenciando para atender nosso pedido. Precisamos dos respiradores no Rio o quanto antes para atender a população – disse.

PREFEITO FALA COM WITZEL

Também nesta quinta-feira, 09/04, Crivella ligou para o governador Wilson Witzel e alinhou medidas contra a pandemia. O prefeito disse que estão ambos preocupados com as imagens e informações de aglomerações, visto que um grupo de pessoas ainda circula normalmente nas ruas.

– Pedi ao governador o apoio da Polícia Militar para ações, em especial nas comunidades da Zona Oeste, onde há informações de aglomerações, mas onde é necessária a atuação da PM, porque somente a Guarda Municipal não dará conta. O governador ficou de atender.

CRIVELLA AJUSTA COM A CAIXA HORÁRIO ESPECIAL PARA IDOSOS SOZINHOS

O prefeito informou ter ajustado com a Caixa Econômica um horário especial de atendimento para idosos que não têm família e precisam sair de casa para receber seus benefícios. Além deles, o horário atenderá também a grávidas e pessoas com comorbidades.

– Pedimos, quase imploramos, para que os idosos e todos fiquem em casa. Mas como há os que são sozinhos e precisam ir às agências para receber seus benefícios, acertei com a Caixa um horário entre 8h e 10h para o atendimento exclusivo desse público para evitar aglomeração. A Caixa fará a medida valer até o dia 20 de abril.

CRIVELLA ALERTA PARA IMPRUDÊNCIA

O prefeito chamou de “imprudência” que algumas pessoas continuem transitando nas comunidades como se não houvesse uma pandemia.

–  Acho uma imprudência. Sabemos que há trabalhadores que saem de manhã e voltam de noite para as suas casas. Mas há pessoas que ficam circulando. Temos que ser inteligentes e acreditar no vírus. Para isso, é preciso prudência. Há muitos idosos nas comunidades. Temos oferecido hotéis a eles, mas é frustrante. Só temos 40 idosos nos quartos, enquanto temos mil quartos de hotéis quatro estrelas para acomodá-los.