Com bloqueios parciais mantidos, área comercial de Madureira recebe fiscalização da Prefeitura

Publicado em 03/06/2020 - 16:39 | Atualizado em 03/06/2020 - 16:45
Agentes da Prefeitura na operação desta quarta-feira (03/06), em Madureira. Divulgação Seop / Prefeitura do RioAgentes da Prefeitura na operação desta quarta-feira (03/06), em Madureira. Divulgação Seop / Prefeitura do Rio
A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), fiscaliza, nesta quarta-feira, 03/06, a área comercial de Madureira, na Zona Norte. Esse é um dos um dos 11 bairros com bloqueios parciais e que não estão incluídos na primeira fase do plano de retomada das atividades econômicas na cidade. Com isso, continua proibida a abertura de lojas de móveis e decorações, concessionárias e agências de automóveis, e a presença de ambulantes legalizados nesta e nas outras dez áreas (relação abaixo) com restrição de circulação, além dos calçadões de Campo Grande e Bangu.

Os bloqueios parciais – com restrição de circulação de pedestres e veículos particulares, exceto de residentes e empregados em serviços de entrega,  permanecem nos seguintes bairros e trechos:

Madureira: Avenida Edgard Romero (trecho entre a descida do viaduto Negrão de Lima até a altura da Escola Municipal Carmela Dutra);
Santa Cruz: Rua Felipe Cardoso (entorno do Terminal do BRT);
Cascadura: foi interditada a área da Praça Nossa Senhora do Amparo;
Méier: Rua Dias da Cruz, trecho da área de lazer;
Pavuna: região comercial da Avenida Sargento de Milícias;
Tijuca: Praça Saens Peña;
Guaratiba: bloqueado acesso à orla (na Estrada de Guaratiba);
Realengo: Avenida Santa Cruz (altura do Supermercado Guanabara);
Taquara: Nelson Cardoso, entre a Rua Baiquiris e Estrada do Tindiba;
Freguesia: centro comercial da Freguesia;
Grajaú: Largo do Verdun.

Ação em Madureira – Coordenada pela Seop, a força-tarefa de fiscalização do comércio para combate à pandemia apreendeu, até o momento, uma moenda de cana, botijão de gás, bebidas alcoólicas e outros itens com ambulantes irregulares, além de fiscalizar as condições sanitárias de estabelecimentos essenciais, como farmácias e açougue. A ação continua ao longo do dia.

Balanço de ontem – Nesta terça-feira (02/06), a força-tarefa verificou denúncias de funcionamento indevido de estabelecimentos em vários bairros da Zona Oeste: Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Vargem Pequena, Gardênia Azul, Taquara e Anil. Na Taquara, um salão de cabeleireiro, que funcionava em desacordo com o decreto municipal, foi multado.

Já na Gardênia Azul, os agentes apreenderam 33 grades que cercavam uma estrutura fixa de eventos montada irregularmente em uma choperia, que estava fechada no momento da fiscalização; e interromperam as atividades de um lava a jato irregular, onde foram apreendidos três freezers, um cooler, um aspirador de pó, uma bomba d’água e uma câmera wireless.

Ainda como resultado da ação, um restaurante japonês, em Vargem Pequena, notificado anteriormente, foi interditado por falta de alvará de funcionamento e licença sanitária. E um restaurante no Recreio foi multado e interditado parcialmente por falta de asseio no depósito.

Números – Em mais de dois meses de operações, a Seop registrou 24.421 estabelecimentos fiscalizados, com 17.621 pontos comerciais fechados, de 18 de março a 1º de junho. Já as equipes do Disk Aglomeração (outra frente de fiscalização coordenada pela pasta) atenderam 8.329 ocorrências desde 31 de março. Os bairros mais demandados pelo serviço de dispersão de pessoas, com base em chamados à Central 1746, são: Campo Grande, Realengo, Bangu, Santa Cruz, Barra da Tijuca, Taquara, Tijuca, Centro, Copacabana e Recreio dos Bandeirantes.

Órgãos – A força-tarefa integrada pela Seop para fiscalização do comércio conta efetivos da Subsecretaria de Operações da pasta; Guarda Municipal; Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano (da secretaria de Fazenda); Subsecretaria de Vigilância Sanitária (Saúde); Comlurb; e apoio da Polícia Militar, quando necessário.