Ambulante Legal distribui mais 150 crachás e abre ano de 2020 com quase 7 mil beneficiados

Publicado em 06/01/2020 - 13:05 | Atualizado em 06/01/2020 - 13:19
Alexander com a esposa Vanessa e a filha Manoela: trabalho na Praia da Reserva. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do RioAlexander com a esposa Vanessa e a filha Manoela: trabalho na Praia da Reserva. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta segunda-feira,  6 de janeiro, mais 150 crachás de identificação do Programa Ambulante Legal. O evento, no Palácio da Cidade, em Botafogo, reuniu titulares de licenças para comércio de rua que atuam em seis bairros da cidade: Recreio dos Bandeirantes, Guaratiba, Barra da Tijuca, Grumari, Barra de Guaratiba e Leme.

– O crachá dá garantia a vocês de trabalhar direitinho. E são vocês que vão nos ajudar a fiscalizar. Viu que tem ambulante trabalhando ilegalmente perto de vocês, liguem para o 1746, e a Prefeitura vai fazer operação no local. Vamos fazer a coisa certa, para eu honrar o meu crachá de prefeito e vocês, os de Ambulante Legal. Assim, a nossa cidade vai sempre melhorar – recomendou Crivella, ao entregar pessoalmente os documentos a cada um dos beneficiados.

 

Com 12 anos de experiência, Ana Cláudia comemora o crachá do Ambulante Legal para vender bebidas no Recreio. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio
Com 12 anos de experiência, Ana Cláudia comemora o crachá do Ambulante Legal. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

 

Ana Cláudia Santos Ferreira Silva, 44 anos, vende bebida e aluga cadeira de praia e guarda-sol no Recreio, entre os Postos 10 e 11. Ela atua há 12 anos no segmento. Feliz com o faturamento obtido nas últimas semanas de dezembro (“trabalhei dia e noite, mas melhorei a féria”, contou), Ana tem agora mais um motivo para sorrir:

– Oba, é um orgulho – disse, ao receber o crachá. – É ótimo, a gente se sente mais segura agora para trabalhar – opinou.

“Tudo conforme a lei”

Alexander Barbosa, 47 anos, também vende bebida e aluga cadeira e guarda-sol, na Reserva. Demitido da empresa de telecomunicações onde trabalhava, ele há cinco anos passou a ser ambulante. Alexander levou a mulher, Vanessa, e a filhinha, Manoela, de apenas um ano, para a solenidade onde recebeu o crachá. A família depende 100% do trabalho dele para se sustentar.

– Agora, com esse documento, tenho mais tranquilidade. É como diz o nome do programa: a gente vira ambulante legal, com tudo conforme a lei – comentou.

O programa já alcançou 113 bairros na cidade e distribuiu 6.675 crachás com QR code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só à fiscalização, mas também ao consumidor, acessar informações do vendedor. Por exemplo: nome, número de inscrição e mercadorias que podem ser  comercializadas. Além disso, por meio da tecnologia, também é possível verificar o local em que aquele ambulante pode atuar na cidade, respeitando o ordenamento urbano.

 

Ambulante Legal inicia 2020 com distribuição de crachás a mais 150 trabalhadores. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio
Ambulante Legal inicia 2020 com distribuição de crachás a mais 150 trabalhadores. Foto: Hudson Pontes / Prefeitura do Rio

 

O programa foi lançado em agosto de 2018. Por intermédio do Ambulante Legal, os vendedores têm oportunidade de fazer cursos e se tornar empreendedores, com qualificação melhor. E recebem também chance de empréstimos junto à Caixa Econômica Federal, para financiar investimentos e ampliar os negócios.