Programa Rio+Seguro chega à Taquara e vai se expandir ainda mais pela Zona Oeste

Publicado em 19/02/2020 - 11:47 | Atualizado em 19/02/2020 - 12:34
Guardas municipais perfilados durante lançamento do Rio+Seguro na Taquara. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do RioGuardas municipais perfilados durante lançamento do Rio+Seguro na Taquara. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, lançou nesta quarta-feira (19/02), na Taquara, o segundo módulo do Rio+Seguro Jacarepaguá, que amplia a expansão do programa pela Zona Oeste. O primeiro foi inaugurado na Freguesia, em 22 de janeiro. Até o final de abril, o Rio+Seguro será levado a outras quatro regiões: Pechincha, Tanque e Praça Seca, em Jacarepaguá, e centro de Campo Grande.

– A importância do Rio+Seguro em Jacarepaguá é o que se espera dele: alcançar o sucesso de Copacabana, onde reduziu muito o índice de criminalidade. Não se ouve mais em Copacabana as pessoas gritando na rua ‘pega, ladrão!’ Agora é só segurança. A Prefeitura traz para cá poda de árvores, troca de luminárias, limpeza de bueiros, conserta calçadas e tapa buracos. É uma ação integrada, não só com a presença do homem (guarda municipal e policial militar), trazendo mais segurança, mas também fazendo todos os reparos da cidade, o que de certa forma traz uma sensação de segurança maior – explicou Crivella.

O secretário municipal de Ordem Pública (Seop), Guttemberg Fonseca, informou sobre resultado do programa na Freguesia e destacou a parceria entre Guarda Municipal e Polícia Militar.

– É um programa de ordenamento urbano, para trazer mais segurança ao cidadão. É o município ao lado do estado para devolver aquilo que arrancaram da população. O comércio da Freguesia já aponta crescimento de 30% nas vendas desde que o Rio+Seguro chegou – revelou.

Rio+Seguro é caso de sucesso em Copacabana, Leme e Fundão: veja números

Autor da lei que permitiu a criação do Rio+Seguro, o vereador Marcelo Arar comentou:

– Há dois anos idealizamos o projeto, e o prefeito abraçou a ideia e a fez viável. A cidade precisava dessa parceria da Guarda Municipal com a Polícia Militar.

Como será a estrutura do programa na Taquara?

O núcleo da Taquara contará com 60 agentes por dia (entre guardas e policiais militares).  A base operacional fica num espaço do horto municipal da Taquara, de onde sairão duas viaturas e duas motocicletas para patrulhamento.

Tem novidade aí!

Diferentemente do modelo atual – com adesão de PMs da ativa, contratados no período de folga por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) -, o Rio+Seguro Jacarepaguá e o Rio+Seguro Campo Grande preveem empregar ainda bombeiros e policiais militares e civis aposentados e da reserva.

Câmeras nos uniformes

De forma experimental, o Rio+Seguro Jacarepaguá terá agentes com câmeras individuais fixadas ao uniforme. As imagens são captadas e enviadas em tempo real a uma central de controle.

Você se lembra quando começou o Rio+Seguro?

O programa foi lançado pelo prefeito Marcelo Crivella em 3 de dezembro de 2017, inicialmente em Copacabana e Leme.  Em 7 de junho de 2019, chegou à Cidade Universitária (Ilha do Fundão). Agora, no início de 2020, se expandiu para a Zona Oeste.

Quais os números dessa expansão pela Zona Oeste?

Quando concluída a expansão, a Seop prevê empregar nas seis regiões da Zona Oeste um efetivo de 840 agentes em turnos – média de 280 por dia. A estimativa de investimento total é de R$ 3,8 milhões, custeados pelo Fundo Especial de Ordem Pública (Feop).

Município estende Rio+Seguro à Zona Oeste com câmeras de reconhecimento facial

 

Efetivo do Rio+Seguro será ampliado em 20% nos bairros de Copacabana e Leme

 

Rio+Seguro completa dois anos de combate à criminalidade em Copacabana, com plano de expansão à Zona Oeste