Oficina prepara agentes públicos para as ações do Plano de Desenvolvimento Sustentável

Publicado em 12/03/2020 - 17:08 | Atualizado em 13/03/2020 - 08:42
Oficina de estudo para propostas de ações de adaptação em áreas críticas da cidade para o Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do RioOficina de estudo para propostas de ações de adaptação em áreas críticas da cidade para o Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio

As metas e as ações que o Rio de Janeiro adotará para enfrentar os impactos ambientais nos próximos anos foram debatidas por agentes públicos e por parceiros envolvidos com a temática. Por dois dias, cerca de 90 especialistas — entre geógrafos, urbanistas, ambientalistas, arquitetos, juristas e acadêmicos — participaram da oficina “Caminhos para uma adaptação inclusiva para a Cidade do Rio de Janeiro”, construída dentro do Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática do município.

O encontro, que ocorreu na Fundação Planetário, na Gávea, foi possível por meio de uma parceria entre o Escritório de Planejamento da Subsecretaria de Planejamento e Acompanhamento de Resultados da Casa Civil e o grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima.

Debruçados sobre mapas de áreas críticas da cidade, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer os principais pontos do plano, que será entregue em junho, e de fazer um exercício para identificar as barreiras que podem ser enfrentadas durante a execução das metas no futuro.

— A ideia é que eles avaliem quais dificuldades podem aparecer durante a implementação de uma meta e que tentem encontrar soluções. Por exemplo: é preciso aumentar a arborização. Neste caso, como isso pode ser feito? Quais dificuldades podem aparecer? Quais comunidades precisamos envolver? São alguns questionamentos que podem surgir durante o exercício. Esse é momento em podemos discutir novas maneiras de pensar o planejamento da cidade, de trazer novas soluções e reverter problemas futuros que serão agravados pela mudança do clima — detalhou Bárbara Barros, assessora de cidade do Programa de Ação Climática do C40 no Rio de Janeiro.

Noventa especialistas participaram da oficina. Fotos Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio
Noventa especialistas participaram da oficina. Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio

Para o coordenador-geral do Escritório de Planejamento da Subsecretaria de Planejamento e Acompanhamento de Resultados da Casa Civil, Daniel Mancebo, a troca de experiências entre representantes da Prefeitura, de universidades, do Ministério Público e do governo do Estado é fundamental para pensar em soluções intersetoriais.

— Como a cidade tem uma topografia e uma geografia que potencializam os efeitos dessas mudanças, é importante que esteja mais adaptada para resistir aos eventos extremos, cada vez mais frequentes. O objetivo de uma iniciativa como esse é justamente trazer parceiros para construir essas metas de maneira conjunta, já que todos fazemos parte desse processo. Queremos trazer soluções que associam experiências sob o ponto de vista da geotecnia, da hidráulica, ambiental e, inclusive, econômico, para que os projetos sejam de fato sustentáveis, intersetoriais e articulados. — destacou.

Participaram pelo pelo município representantes de Comlurb, Defesa Civil, Centro de Operações Rio, Fundação de Parques e Jardins, Geo-Rio, Instituto Pereira Passos, Rio-Águas, e das Secretarias de Meio Ambiente, de Infraestrutura e Habitação, de Transportes, de Saúde e de Urbanismo.

 Especialistas elaboram propostas de ações de adaptação em áreas críticas da cidade. Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio
Agentes públicos debatem as metas e as ações que o Rio  adotará para enfrentar os impactos ambientais nos próximos anos. Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio

 

Prefeitura seleciona empresas para desenvolver projetos com foco em sustentabilidade

 

Prefeitura do Rio comemora dois prêmios internacionais em sustentabilidade