Alunos de escolas municipais se mobilizam para pensar a cidade no Dia D do Desenvolvimento Sustentável

Publicado em 08/11/2019 - 16:16 | Atualizado em 08/11/2019 - 16:45
Alunos de escolas municipais debateram sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do RioAlunos de escolas municipais debateram sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro promoveu nesta sexta-feira, 8 de novembro, o ‘Dia D’ do Plano de Desenvolvimento Sustentável do município, envolvendo toda a rede municipal de ensino para ouvir dos alunos sugestões para o futuro da cidade. Por meio de desenhos e textos, estudantes de creches, ensino fundamental e educação de jovens e adultos descrevem como é o trajeto cotidiano entre suas casas e a escola e quais as transformações que gostariam de ver nesse caminho.

Na Escola Municipal Reverendo Martin Luther King, na Praça da Bandeira, 25 alunos do 7º ano do ensino fundamental participaram da ação da Prefeitura do Rio. Tainara Rodrigues, 13 anos, moradora do Morro de São Carlos, criou uma história em que um menino incomodado com a sujeira nas ruas e uma menina sonhadora, acostumada a admirar as árvores a caminho da escola, debatem os problemas da cidade.

– Existe muita poluição no ar, e os carros soltam muito gás, por isso há o aquecimento global – analisa Tainara.

A adolescente sonha com mudanças.

– Poderíamos trocar o gás dos carros e também conscientizar as pessoas a não jogar o lixo nas ruas, que provoca enchentes que tiram as pessoas de casa – sugere.

Alunos de escolas municipais debatem sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
Alunos de escolas municipais debatem sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

Diretora da escola, Maria Marlene de Brito observou que a insegurança foi o tema mais citado.

– Os alunos se sentem inseguros, mas eu também percebi que eles conseguem ouvir os pássaros, mesmo em meio à violência, e isso chega a ser poético – descreve.

A educadora elogiou a iniciativa:

– É muito bom a Prefeitura ouvir o cidadão, o aluno, a escola; tivemos o oportunidade de conhecer questões que muitas vezes a gente não tem noção.

Alunos de escolas municipais debatem sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
Alunos de escolas municipais debatem sobre o que é bom e ruim no caminho de casa para escola, como parte do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

Resultados serão mapeados 

O Dia D do Plano de Desenvolvimento Sustentável é uma iniciativa conjunta do Escritório de Planejamento da Subsecretaria de Planejamento e Acompanhamento de Resultados da Casa Civil e da Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Os resultados serão analisados pela equipe da URFJ e mapeados por região da cidade, além de utilizados na elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável da cidade (PDS).

O PDS consiste em estabelecer uma visão da cidade para 2050. Entretanto, como planejamento de médio e longo prazo, o Rio também deverá cumprir objetivos e metas a serem alcançadas até 2030. Com previsão de entrega para abril de 2020, o Plano de Desenvolvimento Sustentável possui ações e metas alinhadas com a agenda de desenvolvimento sustentável da ONU, conhecida como Agenda 2030.

– O grande diferencial do Plano de Desenvolvimento Sustentável do Rio é que ele está sendo elaborado com a participação da população. O Dia D faz parte dessa estratégia, porque nos permite amplo grau de participação social e representatividade, já que a rede municipal de ensino é formada por 1.540 unidades e atende mais de 635 mil alunos de todas as regiões – avalia Daniel Mancebo, coordenador geral do Escritório de Planejamento da Secretaria da Casa Civil.