Prefeitura verifica denúncia de falta de higiene na manipulação de máscaras para venda

Publicado em 26/04/2020 - 19:02 | Atualizado em 26/04/2020 - 19:05
Área externa da Ceasa, onde houve denúncia de manipulação indevida de máscaras para venda. Foto: divulgação / Vigilância SanitáriaÁrea externa da Ceasa, onde houve denúncia de manipulação indevida de máscaras para venda. Foto: divulgação / Vigilância Sanitária

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses, esteve neste fim de semana (25 e 26/04) em uma área externa da Ceasa-Irajá, Zona Norte, para vistoriar a ação de um homem que assoprava sacos plásticos antes de embalar máscaras para a venda. Quando a equipe chegou ao local, o homem já havia saído. A denúncia foi feita por um consumidor que gravou as imagens e registrou o procedimento irregular, sem higiene e de riscos à saúde pública. O vídeo servirá para nova ação na área.

 

Veja vídeo enviado pelo autor da denúncia

 

 

– Enviamos uma equipe assim que recebemos a denúncia do procedimento, que representa um risco de transmissão da Covid-19 e de uma série de outras doenças. O homem que aparece nas imagens não foi localizado, mas voltaremos ao local para nova vistoria. Todo o cuidado é pouco para evitar a contaminação. É muito importante que o consumidor esteja atento à procedência desse equipamento de proteção individual (EPI), que, se bem usado, minimiza a transmissão do vírus, mas, se utilizado inadequadamente, aumenta os riscos de contaminação. Alertamos, em especial, para os processos de higienização, a começar na lavagem, com bastante água e sabão, mesmo antes do primeiro uso – orienta o médico-veterinário Flávio Graça, superintendente de Educação da Vigilância Sanitária, lembrando que a população deve colaborar, denunciando as irregularidades à Central de Atendimento 1746.

Boletins Informativos

A Prefeitura do Rio alerta a população sobre os cuidados em relação à utilização, conservação e compra de máscaras de tecido, que devem ser lavadas mesmo antes da primeira utilização. A orientação sobre o equipamento de proteção individual – de uso obrigatório no município desde a última quinta-feira, 23/04, como mais uma medida de enfrentamento à Covid-19 – é reforçada pela Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses,

Os cuidados com o uso de máscaras e demais equipamentos de proteção individual (EPIs) fazem parte das muitas ações de prevenção e combate ao coronavírus reunidas em boletins informativos produzidos por técnicos da Vigilância Sanitária. Ao todo, já são 13 boletins com orientações para comerciantes e funcionários de diversos segmentos e a população em geral, como o de manejo de resíduos em condomínios, delivery, comunidades terapêuticas, hospitais, protocolos de entrada e saída de casa, higienização da mãos e serviços funerários. O material foi publicado no Diário Oficial de 8 de abril: clique aqui para obtê-lo. .

Cuidados básicos para o uso da máscara de tecido:

1. As máscaras devem ser confeccionadas, preferencialmente, em tecidos de algodão, e em número de cinco para cada usuário;

2. É fundamental assegurar-se de que a máscara está limpa e sem rupturas;

3. Antes do uso, fazer a adequada higienização das mãos;

4. Evitar contato com a parte frontal da máscara e, havendo o contato após o uso, executar imediatamente a higiene das mãos;

5. Cobrir totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços nas laterais;

6. Manter o conforto e o espaço para a respiração;

7. Evitar maquiagem ou base durante o uso;

8. Utilizar cada máscara por, no máximo, de três horas;

9. Trocar a máscara após o tempo máximo de uso ou sempre que ela ficar úmida, com sujeira aparente, danificada ou se houver dificuldade para respirar;

10. Higienizar as mãos ao chegar em casa e após retirá-la, reservando-a para a lavagem logo que possível;

11. Repetir os procedimentos de higienização das mãos sempre que retirar e recolocar a máscara;

12. Não compartilhar a máscara, mesmo que ela esteja higienizada;

13. Lavar previamente com água corrente e sabão neutro e em seguida deixar de molho de 20 a 30 minutos em solução de água com água sanitária (duas colheres de sopa de água sanitária para cada litro de água) ou outro desinfetante;

14. Enxaguar bem em água corrente para remover resíduos de desinfetante;

15. Evitar torcer com força e sempre deixar secar e passar com ferro quente;

16. Guardar em recipiente fechado.