Depoimentos Cariocas: Cantora Doris Monteiro conta suas memórias da Era do Rádio

Publicado em 11/10/2022 - 10:30 | Atualizado em 11/10/2022 - 10:44
  • Início/
  • /
  • Depoimentos Cariocas: Cantora Doris Monteiro conta suas memórias da Era do Rádio
Doris Monteiro conta suas memórias do tempo da Era do Rádio e das noites de Copacabana - Prefeitura do Rio

Cantora fundamental na história da música popular brasileira, Doris Monteiro é a entrevistada da 18ª edição dos Depoimentos Cariocas, a série na qual o Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro vem registrando as memórias e reflexões de cariocas ilustres sobre a cidade. A entrevista entra no ar nesta terça-feira (11/10), às 17h, e pode ser acompanhada (com chat aberto para os participantes) no YouTube do Arquivo Geral da Cidade.

Entre as histórias contadas nos 60 minutos de depoimento, estão a amizade com grandes nomes da música, como como João Gilberto, que viu surgir, e Tom Jobim, que ajudou a projetar, lançando composições dele anteriores à Bossa Nova, como “Se é por falta de adeus” (dele com Dolores Duran, em 1955) e “Engano” (dele com Luiz Bonfá, em 1956). A cantora também relembra seu início profissional, no programa Papel Carbono, comandado por Renato Murce na Rádio Nacional. Isso em 1951, quando logo chamou atenção por seu canto moderno (antecipando a voz coloquial e sem impostação da Bossa Nova) e pela companhia constante de sua mãe, Dona Ana. Afinal, a estreante Doris tinha apenas 16 anos. A maioria das histórias narradas se passa no bairro de Copacabana, onde Doris nasceu há 87 anos – ela completa 88 no próximo dia 23 de outubro.

Conduzida pelo jornalista e músico Pedro Paulo Junior, da equipe de Promoção Cultural do Arquivo Geral da Cidade, a entrevista com Doris tem participações especiais do cantor Márcio Gomes e da cantora Roberta Sá, esta última que regravou em seu segundo CD (2007) o samba “Alô fevereiro” (Sidney Miller), lançado originalmente por Doris em 1972. Já a abertura da entrevista – gravada no último dia 23/09 – coube à presidente do Arquivo Geral, a historiadora Rosa Maria Araujo.

A entrevista com Doris é também a primeira dos Depoimentos Cariocas realizada no auditório do Arquivo Geral da Cidade. Até aqui as entrevistas foram gravadas remotamente (seguindo as regras de isolamento social, exigido durante a pandemia de Covid-19) ou, mais recentemente, nos locais indicados pelos entrevistados.

Com edições mensais disponibilizadas para o público desde maio de 2021, Depoimentos Cariocas já contabiliza mais de 25 horas de histórias sobre a cidade, com as memórias de entrevistados e entrevistadas como escritores/jornalistas Ruy Castro e Zuenir Ventura, os compositores Nei Lopes e João Roberto Kelly, o produtor Haroldo Costa, a atriz e cantora Zezé Motta e as escritoras Ana Maria Machado e Marina Colasanti, o cineasta Cacá Diegues e o ex-prefeito Saturnino Braga, entre outros.

Todas as entrevistas da série podem ser acessadas também através do site do Arquivo Geral da Cidade, que tem uma página dedicada a todas as edições dos Depoimentos Cariocas

 

  • 11 de outubro de 2022
  • Skip to content