Prefeitura realiza campanha para ampliar cobertura de vacinação contra o sarampo na alta temporada

Publicado em 11/02/2020 - 16:47 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Prefeitura realiza campanha para ampliar cobertura de vacinação contra o sarampo na alta temporada
Vacinação contra o sarampoSecretaria Municipal de Saúde realiza ação voltada para as categorias profissionais que lidam diretamente com turistas. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura Rio.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) criou um plano de intensificação da vacinação contra o sarampo na cidade do Rio de Janeiro. A estratégia possui duas frentes de atuação: a realização de uma campanha para verificar a situação vacinal de trabalhadores de categorias profissionais que atuam em contato direto com turistas que chegam à cidade, e o aumento das ações para atingir a faixa etária recomendada para imunização, o que inclui o Dia D nacional da campanha de vacinação contra o sarampo, no próximo sábado, dia 15 de fevereiro.

No último dia 27, a SMS deu início à campanha de verificação do estado vacinal de taxistas e demais motoristas profissionais, de trabalhadores da rede hoteleira e de profissionais que atuam nas unidades de saúde públicas e privadas. Para a verificação, a Prefeitura vai até os locais onde esses profissionais trabalham e a vacinação, para quem não tomou as duas doses, é feita em postos volantes montados em hotéis e nos terminais de abastecimento de taxistas nos aeroportos do Galeão e Santos Dumont.

Mais de 140 mil pessoas já foram vacinadas contra o sarampo em 2020 na cidade do Rio de Janeiro.  Ao todo, do dia 1º de janeiro até o dia 1º de fevereiro, quando foi realizado o primeiro Dia D de mobilização, 103.649 receberam a dose da vacina nas 233 unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) da rede municipal e nas ações de intensificação da vacinação, que vêm sendo promovidas desde o dia 13. A estratégia da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é reforçar a chamada à população, em especial aos trabalhadores de categorias profissionais que atuam direto com os turistas que chegam à cidade, estando por isso mais sujeitos ao contato com o vírus vindo de fora.

O Dia D

A vacinação contra o sarampo já é rotina nas 233 unidades (clínicas da família e centros municipais de saúde), e está disponível durante todo o ano. Mas para ampliar a barreira de proteção contra a doença, a SMS realiza no próximo sábado, 15 de fevereiro, o Dia D nacional de vacinação contra o sarampo, com todas as unidades municipais de saúde da rede de Atenção Primária funcionando das 8h às 17h, além de postos extras montados em todas as regiões da cidade.

A recomendação é que os cidadãos com idade até 59 anos procurem os postos para avaliarem se há necessidade de serem vacinados. É importante ainda que os pais não deixem de vacinar as crianças a partir de 6 meses.

Apesar dos esforços para a erradicação do sarampo, no Brasil e em outros países têm surgido casos da doença, que já estava controlada. Em 2018, houve 17 casos confirmados no município. Em 2019, foram 102, sendo que o primeiro caso confirmado foi o de uma médica que trabalhava em São Paulo. Aliás, somente na cidade de São Paulo, foram mais de oito mil casos confirmados no ano passado. Em 2020, a cidade do Rio registrou, até o momento, oito casos confirmados da doença. Outros 96 estão em investigação.

— O cenário da doença no país é alarmante e o Rio faz fronteira com estados onde a doença se disseminou rapidamente, como em São Paulo, que teve mais de 14.000 casos e, infelizmente, 14 óbitos. Por isso é preciso intensificar as ações de prevenção e proteção e, principalmente, a notificação de casos suspeitos para imediatamente iniciarmos as ações de bloqueio em contactantes. Estamos em alta temporada, com a chegada de turistas no Rio de Janeiro para brincar o carnaval. Vamos ampliar o projeto de prevenção ao sarampo na cidade, verificando se nossos taxistas, profissionais de hotelaria e nossos profissionais de saúde das redes pública e privada estão com a vacina em dia, já que fazem parte de grupos importantes, que podem ter contato com pessoas que estão com o vírus, que é altamente contagioso — disse a secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch.

Quem deve tomar a vacina?

Todas as pessoas que não tiverem a certeza de que tomaram as duas doses na infância. As crianças que não foram imunizadas ainda podem receber a vacina.

Somente em 2019, foram aplicadas 309.395 doses da tríplice viral (que atua contra sarampo, caxumba e rubéola). Para interromper a circulação viral e controlar a doença, a ideia é intensificar a cobertura vacinal e atingir a meta de imunização de 95% da população.

Contraindicações

As contraindicações à administração da vacina contra o sarampo são: indivíduos com histórico de hipersensibilidade grave conhecida a algum componente da vacina (anafilaxia), imunodeficiência e gestantes. Em caso de dúvidas sobre a vacinação é importante procurar uma unidade municipal de saúde. Deve-se também levar a Caderneta de Vacinação para que seja avaliada.

Fique por dentro de tudo o que acontece na Secretaria Municipal de Saúde do Rio e nos siga nas redes sociais!

   

  • 11 de fevereiro de 2020