Prefeitura inaugura na Pavuna mais um tomógrafo de alta tecnologia e amplia estratégia para diagnóstico precoce da Covid-19

Publicado em 17/05/2020 - 13:09 | Atualizado em 29/06/2020 - 18:43
Tomógrafo de alta resolução e 28 canais reforça combate ao novo coronavírus na Pavuna. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, inaugurou neste domingo, 17/05, mais um dos 16 tomógrafos comprados na China pelo município e que estão sendo distribuídos por diferentes pontos da cidade para reforçar a proteção da população contra a Covid-19. Desta vez foi na Pavuna, na Zona Norte, em terreno cedido pelo shopping Via Rio. Ao todo, são 27 tomógrafos adquiridos na atual gestão, com mais de 150 mil exames realizados.

O novo centro de imagens na Pavuna vai levar diagnóstico precoce da doença a milhares de pessoas do bairro e de áreas próximas, inclusive Baixada Fluminense. Além do tomógrafo, há um moderno aparelho digital de raio X, que permite exames mais rápidos e eficientes e ficará de legado para a população após o fim da pandemia.

Tomógrafos são estratégicos contra novo coronavírus

A instalação em série de tomógrafos é uma das estratégias mais importantes da Prefeitura no combate ao novo coronavírus. O equipamento, de alta resolução, tem capacidade de fazer 1.200 exames por mês.

Centro de Imagem na Pavuna tem tomógrafo e raio X digital. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

– Em termos de saúde pública, é um passo enorme a instalação dos tomógrafos. São equipamentos top de linha, com 128 canais, que fazem exames em 20 segundos, com uma grande precisão. Os tomógrafos fazem a detecção precoce do coronavírus no pulmão das pessoas, que se chama pneumonia viral. É com essas tomografias que os médicos terão mais chances de salvar vidas, sobretudo se for no início da doença. Eu sempre repito: se fizermos diagnósticos cedo, vamos vencer a doença – explicou Crivella.

Mais tomógrafos em áreas de risco da Covid-19

Além dos equipamentos, a Prefeitura está levando a áreas mais carentes da cidade polos de atendimento, cada um com 24 leitos, para monitorar as condições de saúde dos pacientes após os exames de imagem. Na Pavuna, a previsão é de que o polo esteja funcionando em até dez dias.

Do total de 27 tomógrafos adquiridos pela atual gestão, 11 já estão em operação desde o ano passado em unidades da rede municipal. Dos 16 mais recentes (cada um com custo de 950 mil dólares), estão em funcionamento o do Hospital de Campanha no Riocentro e os das policlínicas Lincoln de Freitas Filho, em Santa Cruz; Manoel Guilherme da Silveira Filho, em Bangu; e Rodolpho Rocco, em Del Castilho. Um foi cedido ao Hospital Mario Kroeff, unidade beneficente que é referência no tratamento do câncer.

Também vão ganhar os modernos equipamentos os bairros Campo Grande, Recreio e Madureira e as comunidades Rocinha, Cidade de Deus, Maré e Rio das Pedras.

O da Pavuna funcionará, inicialmente, no estacionamento do Shopping Via Rio, porque o local é de acesso mais fácil para a população. E também porque apresentou melhores condições estruturais para uma rápida instalação. Após o fim da pandemia, o tomógrafo será transferido para uma unidade municipal de saúde da região.

 

Aparelho de raio X digital instalado no Centro de Imagem da Pavuna. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

 

Investimento antes da pandemia

Antes da pandemia da Covid-19, a saúde já vinha sendo prioridade na gestão do prefeito Crivella. A renovação do parque tecnológico da rede municipal recebeu investimento de R$ 370 milhões. Foram comprados mais de 18 mil equipamentos de última geração, adquiridos com a finalidade de oferecer à população um atendimento digno e de qualidade.

Entre os novos equipamentos comprados pela Prefeitura estão 806 respiradores, fundamentais para equipar leitos de UTI para tratamento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Esses respiradores foram adquiridos também antes da crise da Covid-19, a preços mais baixos (12 mil dólares cada) e com melhores condições de parcelamento (valor dividido em 60 vezes).