Município já vacinou mais de 100 mil pessoas contra a Covid-19

Publicado em 27/01/2021 - 19:43 | Atualizado em 28/01/2021 - 11:10
Na abertura da nova fase da campanha, mais de 18 mil foram imunizadas - Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

O município do Rio de Janeiro chegou a 100.755 mil pessoas vacinadas contra o coronavírus, sendo cerca de 18 mil somente nesta quarta-feira (27), quando foi aberta a vacinação para profissionais de saúde a partir de 60 anos que atuam nas redes pública ou privada e agentes funerários, na mesma faixa etária, que manipulam cadáveres. Este número, contudo, pode ser ainda maior, uma vez que parte das 236 unidades de Atenção Primária ainda está fechando seus balanços do dia. A estimativa inicial da Secretaria Municipal de Saúde era de vacinar hoje cerca de 15 mil pessoas.

Desde o início da manhã desta quarta-feira, muitas pessoas já aguardavam nas clínicas da família ou centros municipais de saúde para serem vacinadas. Apesar disso, o movimento foi tranquilo, com o fluxo avançando sem contratempos. Algumas unidades, devido à localização central, teve movimento acima da média, o que resultou em filas maiores, como aconteceu no Centro Municipal de Saúde Píndaro de Carvalho Rodrigues, na Gávea. Mas todas as pessoas que procuraram a unidade e estavam dentro do perfil dos grupos prioritários receberam a dose da vacina.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, esteve pela manhã na Clínica da Família Estácio de Sá, no Rio Comprido, e orientou as pessoas dentro dos grupos prioritários a procurarem as unidades para se vacinar de acordo com as etapas anunciadas:

– A gente tem vacina para todos desses grupos prioritários que estão sendo atendidos neste momento. Há doses em todas as unidades e orientamos as pessoas a virem no período da tarde, quando o movimento costuma ser mais tranquilo. Pedimos que tragam um documento de identificação com foto, o comprovante de que faz parte do grupo prioritário abordado neste momento e, se tiver, sua caderneta de vacinação – recomendou o secretário.

 

Aberta a vacinação para profissionais de saúde a partir de 60 anos – Ricardo Cassiano/Prefeitura

 

Um dos primeiros a receberem a dose na CF Estácio de Sá nesta quarta-feira, o médico radiologista Fernando César Carvalho, de 64 anos, pretende, agora vacinado, retornar em breve ao trabalho. Devido à pandemia e à idade, ele precisou se afastar da prática da profissão, que exerce há 37 anos.

– Eu recebi a vacina com muita esperança de que dias melhores virão no combate à pandemia. Não estou encerrando a carreira, pelo contrário. Aos poucos as coisas vão normalizar – disse ele, esperançoso.

A vacina gerou entusiasmo e otimismo também para a bióloga da Fiocruz Joana Angélica Barbosa:  – Minha sensação é de felicidade. É bom demais. Estou muito feliz e peço a Deus que todos tenham esse acesso. E terão! Vamos vencer essa.

Nesta etapa da vacinação estão contemplados, com a devida comprovação, as seguintes categorias de profissionais com 60 anos ou mais: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares, bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados. Esse público representa cerca de 66 mil pessoas. A recomendação é que o profissional tome a vacina na sua unidade de saúde de referência, que pode ser verificada no serviço Onde ser Atendido, pelo link www.subpav.org/ondeseratendido/

Também continuam a ser vacinados os profissionais de saúde que trabalham em hospitais na linha de frente do atendimento à covid-19 e os da Atenção Primária envolvidos com a campanha de vacinação. Idosos asilados e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência já foram vacinados.

Por enquanto, a população não deve procurar os postos de saúde, porque a vacinação está restrita aos profissionais de saúde e aos grupos específicos. Quando o Ministério da Saúde definir a ampliação para outros grupos prioritários, a informação será amplamente divulgada.

 

Por enquanto, a população não deve procurar os postos de saúde – Ricardo Cassiano/Prefeitura
  • 27 de janeiro de 2021