Município conclui vacinação dos adultos contra a Covid-19 e supera meta da campanha

Publicado em 20/08/2021 - 12:27 | Atualizado em 20/08/2021 - 20:30
  • Início/
  • /
  • Município conclui vacinação dos adultos contra a Covid-19 e supera meta da campanha
O prefeito alertou que a população deve manter as medidas sanitárias - Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

Esta sexta-feira (20/08) é um marco para a história da cidade do Rio com a conclusão da vacinação contra Covid-19 dos adultos, e a superação da meta estabelecida de cobertura de 90% deste grupo. Com a convocação dos jovens de 18 anos nesta sexta-feira (20/08), todos os cariocas a partir dessa idade já terão recebido pelo menos uma dose do imunizante. Analisando a população total da cidade, 70% dos 5,2 milhões de cariocas já receberam a primeira ou dose única do esquema vacinal, no momento em que o número de casos da doença tem crescido.

 

– É um momento marcante, não tenho dúvida que a vacina está colaborando para o não agravamento dos novos casos da doença. A vacina salva vidas, os números confirmam isso. Mas a situação ainda é crítica. Neste momento, o Rio é o epicentro da variante Delta. Estamos com o maior número de pessoas com Covid em todo o ano de 2021, esse dado é muito preocupante. Felizmente, ainda temos uma queda no número de óbitos – alertou o prefeito do Rio, Eduardo Paes, durante a divulgação da 33ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19, no Centro de Operações Rio (COR), na Cidade Nova.

 

O prefeito ressaltou que poderá ampliar as medidas de proteção à vida se a população não mantiver os protocolos sanitários, com o uso de máscara e a higienização das mãos, além de respeitar o distanciamento social. Por isso, pediu atenção redobrada à população para a necessidade de ser proteger e vacinar.

 

– Não podemos permitir que esses casos se agravem e terminem em óbito. Precisamos da colaboração da população, entendendo que neste período de inverno temos uma transmissão maior da doença. Nós vamos tomar medidas mais restritivas se houver um aumento no número de casos graves – afirmou Paes.

 

A partir da próxima semana, se o Ministério da Saúde enviar as remessas de vacinas no prazo, a campanha passa a ser estendida aos adolescentes. O calendário seguirá escalonado e com três dias para cada idade (meninas em primeiro, depois os meninos e a repescagem): entre segunda e quarta-feira (23 e 25 de agosto), poderão receber a primeira dose da vacina adolescentes de 17 anos; entre quinta e sábado (26 e 28 de agosto), quem tiver 16 anos; e assim sucessivamente até a faixa etária de 12 anos, em meados de setembro.

 

Exceção para os adolescentes com deficiência, que poderão se vacinar em qualquer dia, independentemente de escalonamento. A vacina aplicada nesta faixa etária será a Pfizer, única com liberação da Anvisa para uso nesse público. No momento da vacinação, eles devem apresentar documento de identidade original com foto, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação.

 

Na próxima semana começa a vacinação dos adolescentes – Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

 

Até quinta-feira (19/08), 4.709.852 pessoas haviam tomado a primeira dose (D1) de CoronaVac, AstraZeneca ou Pfizer no Rio, e outras 137.523 receberam o imunizante da Janssen, que tem o esquema vacinal de dose única (DU). Esse total representa 91,8% da população carioca elegível para a vacinação (a partir de 18 anos) com a imunização iniciada ou concluída. Entre as pessoas que seguem o esquema vacinal de duas doses, 2.159.349 já receberam a segunda dose (D2), o equivalente a 43,5% da população elegível com a imunização completa. A continuidade do calendário de vacinação do Rio está condicionada à regularidade do envio de remessas pelo Ministério da Saúde.

 

Nesta sexta-feira (20/08), poderão se vacinar jovens de 19 e 18 anos, sendo preferencialmente mulheres de manhã e homens à tarde. Já no sábado (21), os pontos de vacinação funcionarão em horário ampliado de 8h às 17h para, mantendo a mesma divisão por turnos. Haverá repescagem para adultos com 20 anos ou mais, pessoas com deficiência, gestantes, lactantes e puérperas a partir de 18 anos. A segunda dose está mantida nos postos normalmente. É importante que a população compareça na data correta de sua idade para a primeira dose e não esqueça a data de retorno para a segunda dose.

 

A SMS disponibiliza mais de 280 pontos de vacinação em toda a cidade, funcionando de segunda-feira a sábado, para facilitar o acesso da população à vacina. A lista desses pontos, seus horários de funcionamento, o calendário de vacinação e outras informações estão disponíveis em coronavirus.rio/vacina e nas redes sociais da SMS e da Prefeitura do Rio.

Cenário epidemiológico

 

A 33ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira, mostra que os casos da doença têm aumentado no município do Rio nas últimas seis semanas. Esse efeito pode estar sendo causado pela circulação da variante Delta, que, como estudos apontam, tem maior transmissibilidade. Em oposição à tendência de aumento dos casos por Covid-19, o índice de óbitos mantém queda sustentada, o que pode ser relacionado como reflexo da imunização, que tem como principal objetivo prevenir casos graves e mortes.

 

Na última semana, 94 novos casos de diferentes variantes do vírus foram identificados na cidade, sendo 72 moradores locais e os demais pacientes que foram atendidos na cidade, mas moram em outros municípios. Desde a identificação do primeiro caso de novas variantes, o município contabiliza 1.246, sendo 1.007 residentes. Entre os que moram na cidade, 871 casos da Gamma, 123 da Delta e 13 da Alfa. Dos moradores infectados por essas cepas, 59 faleceram, seis permanecem internados e 942 já são considerados curados.

 

– Queria fazer um apelo: nos últimos 30 dias internamos 286 idosos que já poderiam ter tomado as duas doses da vacina e não tomaram quando estavam elegíveis. Vamos fazer uma grande busca ativa de todos que não tomaram a primeira dose, mas quem conhece uma pessoa nesta situação pode levá-la a um de nossos postos. Temos uma nova variante e um aumento expressivo no número de casos, mas ainda vemos pessoas que não se vacinaram – disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

 

Por causa da disseminação da variante Delta e do aumento do número de casos notificados, o boletim aponta ainda o mapa de risco da cidade para Covid-19 retornando ao estágio de atenção. Todas as 33 regiões administrativas (RAs) do município estão classificadas com risco alto (laranja) para transmissão do coronavírus. As medidas de proteção à vida estabelecidas no decreto nº 49.288 são válidas até 30 de agosto, mantendo o nível de alerta para risco alto.

 

Diante do crescente número de casos da variante Delta, a Prefeitura vai encaminhar ao Comitê Científico uma proposta para dar prioridade à aplicação nos idosos de uma terceira dose de reforço da vacina.

 

– Quero deixar bem claro que a Prefeitura entende que, com esse número alto de casos da variante Delta, deve priorizar a terceira dose de reforço para as pessoas mais velhas, que são mais vulneráveis ao agravamento da doença. Nós preferimos fazer a terceira dose dos idosos do que antecipar a segunda dose dos mais jovens – enfatizou o prefeito do Rio.

 

O 33º boletim mostra que, desde março de 2020, o município do Rio soma 429.734 casos de Covid-19, com 31.276 óbitos. Em 2021 são 214.820 casos e 12.239 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 5,7%, contra 8,9% em 2020; e a de mortalidade, em 183,7 a cada 100 mil habitantes, contra 285,8/100 mil no ano passado. A incidência da doença é de 3.224,9/100 mil, quando em 2020 era de 3.226,3/100 mil.

  • 20 de agosto de 2021