Gabinete Itinerante da Saúde completa uma semana no Pedro II

Publicado em 19/07/2019 - 17:15 | Atualizado em 19/07/2019 - 17:42
Gabinete itinerante no Hospital Municipal PedroMedida objetiva qualificar a assistência oferecida. Foto: Prefeitura Rio

Em uma semana de atuação do gabinete itinerante da Saúde no Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, bons resultados foram alcançados. A ação, liderada pela secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch, teve início no último dia 12 e tem acompanhado o dia a dia da unidade, auxiliando e corrigindo processos de trabalhos. Neste período, foram mais de 2 mil atendimentos no Centro de Emergência Regional de Santa Cruz (emergência do complexo hospitalar) e mais de 100 redirecionamentos de pacientes para suas respectivas unidades de Atenção Primária, com atendimento agendado.

 

Por todos os dias desta última semana, equipes do gabinete da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e/ou das subsecretarias de Atenção Hospitalar, Urgência e Emergência (Subhue); de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde (Subpav); de Regulação, Controle, Avaliação, Contratualização e Auditoria (SubReg) e de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) estiveram na unidade. Foram verificados processos de trabalho, corrigidas falhas de gestão e programados cursos e treinamentos para qualificar os serviços da unidade. Em pelo menos duas ocasiões em que recebeu denúncias de demora injustificável no atendimento, a secretária Beatriz Busch exigiu providências da direção e mudanças nas coordenações de equipes.

 

Do dia 12 ao dia 18, o CER Santa Cruz registrou 2.389 atendimentos. Desses, 104 pacientes, com casos considerados ambulatoriais ou de baixo risco (classificações de risco azul ou verde), foram redirecionados para a Atenção Primária. Para isso, equipes da coordenação de saúde da AP 5.3 (Santa Cruz), subordinada à Subpav, trabalharam junto aos profissionais do Acolhimento do CER, para garantir a correta orientação aos pacientes redirecionados, que já saíam da unidade hospitalar com a indicação precisa da clínica da família ou centro municipal de saúde mais próximo de sua casa, onde teriam seu atendimento.

 

“A emergência está trabalhando junto com a Atenção Primária na classificação de risco. Pessoas que procuram a emergência com casos de menor complexidade e ambulatoriais, que precisam resolver isso com exames simples, já saem daqui com a agenda marcada para sua clínica da família”, explicou Beatriz Busch, que anunciou também planejamento de obras na unidade: “A Secretaria Municipal de Obras esteve aqui para fazer orçamentos e uma programação de intervenções importantes. Esse hospital vai ter outra cara.”

 

Durante sua presença no hospital, a secretária conversou com pacientes, ouviu solicitações, agradecimentos e queixas. Também verificou as escalas de profissionais, garantindo que todos os plantões tivessem médicos nas especialidades de emergência; e atestou a normalização das entregas de insumos e de enxovais pela empresa de lavanderia, que na semana anterior havia apresentado irregularidades no serviço, causando transtornos sobretudo no funcionamento do Centro Cirúrgico. A situação já foi normalizada e o mapa cirúrgico foi retomado.

 

A pedido da secretária de Saúde, uma equipe da Vigilância Sanitária percorreu a cozinha e a farmácia do hospital, levando orientações técnicas para ajustes dos processos de trabalho, de acordo com as regras higiênico-sanitárias. Como retorno da visita técnica, os profissionais que trabalham nos dois setores já começaram a passar por capacitação. Os primeiros cursos, de boas práticas na manipulação de alimentos e de procedimento operacional para as nutricionistas, começaram a ser ministrados na quarta-feira, dia 17, pela coordenadora de Alimentos, Aline Borges, e por técnicos do Instituto de Nutrição Annes Dias, vinculado à Subvisa.

 

E nesta sexta-feira, dia 19, oitavo dia de gabinete itinerante, enfermeiros e técnicos de enfermagem participaram de processo seletivo para contratação de profissionais e realinhamento de fluxo da unidade; e 36 colaboradores da porta de entrada passaram por um treinamento com a enfermeira Marta Côrtes, coordenadora do processo de acolhimento da SMS. Durante a semana, a unidade já tinha recebido integrantes do Projeto Acolher, universitários de diversas áreas treinados para auxiliar o acolhimento qualificado na porta de entrada dos hospitais.

 

O gabinete itinerante ocorrerá toda semana em hospitais e centros de emergência regional (CERs), clínicas da família, centros municipais de Saúde (CMSs), maternidades, UPAs e centros de atenção psicossocial (CAPS). Nesta primeira ação, apesar de o foco principal ter sido o complexo formado pelo Hospital Pedro II e pelo CER Santa Cruz, o gabinete itinerante também circulou por outras unidades da região, como a Clínica da Família José Antônio Ciraudo e a UPA Santa Cruz (João XXIII).