Efeito coronavírus: Rio terá drive thru da vacinação contra a gripe

Publicado em 19/03/2020 - 17:33 | Atualizado
A campanha de imunização. Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio inicia a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza nesta segunda-feira, dia 23 de março, com um drive thru nos postos do Detran e no estacionamento do Riocentro, para que idosos possam se vacinar sem sair do carro, diminuindo assim o risco de contaminação pelo coronavírus. Até o dia 15 de abril, a imunização será exclusiva para idosos (60 anos ou mais) e trabalhadores da saúde. A vacina também estará disponível nas 233 unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A proposta, discutida pelas secretarias de Saúde do município e do Estado, é reduzir as filas, garantindo que não haja aglomeração nas unidades de saúde, principalmente de idosos, que são um dos grupos mais vulneráveis às complicações da gripe e do Covid-19. Além dos postos do Detran na Capital, o drive thru da vacinação também funcionará no estacionamento do Riocentro, na Barra da Tijuca.

A campanha vai até 22 de maio. Na segunda fase, a partir do dia 16 de abril, a vacina estará disponível para três outros grupos: professores das escolas públicas e privadas; profissionais das forças de segurança e salvamento; portadores de doenças crônicas. Já no sábado 9 de maio, dia D de mobilização nacional – quando diversos postos volantes serão disponibilizados em toda a cidade – se inicia a terceira fase da campanha, com mais grupos inseridos: crianças de seis meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias; gestantes e mulheres até 45 dias após o parto; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; indígenas; adultos de 55 a 59 anos; pessoas com deficiência.

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. Inicia-se com febre alta, dores musculares, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. O agravamento com hospitalizações e óbitos ocorre, geralmente, nos grupos de alto risco, que são o público alvo da campanha. O objetivo da vacinação é reduzir as complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções causadas pelo vírus da influenza. A previsão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é de que 90% da população alvo da campanha na cidade sejam vacinadas, o que corresponde a pouco mais de 2 milhões de pessoas.

Por recomendação da Organização Mundial da Saúde, a vacina trivalente a ser usada na campanha de 2020 protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul no ano anterior (H1N1, H3N2 Influenza tipo B). O esquema vacinal prevê que crianças até 5 anos que não tenham sido vacinadas em anos anteriores tomem duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas. Para os integrantes dos demais grupos prioritários, será administrada uma única dose. Mesmo quem tomou a vacina no ano passado precisa ser vacinado novamente este ano.

Ao comparecer ao posto, solicita-se a apresentação da caderneta de vacinação, se disponível, especialmente no caso das crianças, para que o profissional de saúde verifique se há outras vacinas a serem colocadas em dia. Mesmo quem não tenha caderneta e faça parte dos grupos alvo poderá se vacinar. Pessoas com febre devem aguardar a melhora para tomar a vacina. Já quem tiver alergia grave a ovo deve informar ao profissional de saúde e será orientado a tomar a vacina em unidades específicas, sob condições especiais.