Dezembro Vermelho começa com ações de luta e prevenção contra a Aids

Publicado em 01/12/2022 - 07:00 | Atualizado em 05/12/2022 - 12:46
Dia Mundial de Luta contra a Aids - Reprodução

O Dia Mundial de Luta contra a Aids é celebrado nesta quinta-feira (1º/12), juntamente com o início da campanha Dezembro Vermelho. Para marcar a data, pontos da cidade vão ganhar iluminação especial nesta noite, na cor que representa o mês. São eles o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, a passarela da Rocinha, a Câmara Municipal, a Cidade das Artes, o Museu do Amanhã, o MAR e os chafarizes do Parque Madureira. O município do Rio tem 47 mil pessoas vivendo com HIV, cadastradas nos serviços de saúde para receber a medicação fornecida gratuitamente pelo SUS. Por ano são registrados, em média, 2,2 mil novos casos, reforçando a necessidade da prevenção.

Na capital, todas as clínicas da família e centros municipais de saúde oferecem livre acesso à orientação para pré-teste, testagem e pós-teste de HIV, com acompanhamento ou profilaxia. As unidades também ofertam os principais métodos de prevenção. Além da entrega de preservativos, a PrEP (profilaxia pré-exposição) é prescrita pela Atenção Primária e pode ser retirada em mais de 100 locais. Desde 2021, com a ampliação do acesso na rede municipal, o número de pessoas que utilizam essa medicação aumentou em cerca de 200%.

Neste mês, as clínicas da família e os centros municipais terão ações de orientação e promoção da saúde, para dar informações sobre prevenção, tratamento, soropositividade, direitos da pessoa soropositiva e saúde mental. Fechando o Dezembro Vermelho, será inaugurado, ainda este mês, o Centro Especializado em Infectologia, na Praça da Bandeira, com consultas e exames de HIV, hepatites virais, hanseníase e tuberculose, entre outras especialidades clínicas associadas.

As ações da campanha Dezembro Vermelho são realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde e pela Secretaria de Governo e Integridade Pública, por meio da Coordenadoria Executiva da Diversidade Sexual, para lembrar a importância do combate à doença, do investimento em pesquisas científicas e da prevenção ao HIV. É necessário ainda reforçar o enfrentamento ao preconceito existente em relação a pacientes.

  • 1 de dezembro de 2022
  • Skip to content