Rio propõe criação de foro permanente de cidades de países que integram o Brics

Publicado em 24/07/2019 - 10:12 | Atualizado em 24/07/2019 - 12:29
Representantes participaram de um jantar no Palácio da Cidade - Foto: Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, ofereceu nesta terça-feira, 23 de julho, no Palácio da Cidade, uma recepção para representantes dos Ministérios das Relações Exteriores de África do Sul, Índia, China, Rússia e Brasil, que participam na cidade de reunião oficial do Brics (grupo de nações emergentes composto por esses países). No evento, o prefeito propôs a criação de um foro permanente entre as cinco principais cidades e metrópoles dessas nações e sugeriu que ele se chame Brics 5 por 5:

– O foro Brics 5 por 5 teria como objetivo promover a cooperação entre cidades e metrópoles em diferentes setores, incentivar o intercâmbio de experiência de boas prática, fomentar projetos conjuntos para solucionar problemas compartilhados e atrair fluxo de investimentos, relações econômicas positivas. O Rio de Janeiro está mais uma vez de braços abertos para acolher esse evento do mais alto significado para a cidade – afirmou o prefeito em seu pronunciamento, ao lado do governador Wilson Witzel, que também discursou.

O grupo de representantes de metrópoles, segundo Crivella, deveria se reunir paralelamente às reuniões setoriais realizadas anualmente. Um dos temas a ser tratado, defendeu, é a segurança pública:

– Assim como o Rio, grandes metrópoles enfrentam desafios relativos à segurança pública. Entendemos por relevante a realização de um encontro entre as cidades do BRICS, visando o intercâmbio das melhores práticas sobre como trabalhar a questão no contexto de nosso grupamento, onde o compartilhamento de experiências de cidades brasileiras, russas, chinesas, indianas e sul-africanas será de grande utilidade para todas – disse Crivella.

O prefeito afirmou que o Rio de Janeiro será a representante das cidades brasileiras:

– Aqui no Brasil, pelo critério de beleza, o Rio será a cidades escolhida – afirmou.

Crivella lembrou ainda que a Cidade do Rio de Janeiro já ofereceu um imóvel para servir de sede ao New Development Bank, que tem a função de viabilizar recursos e conhecimento técnico para o aprofundamento contínuo da parceria entre os países do Brics.

O encontro atual entre representantes dos Ministérios das Relações Exteriores dos países que integram o Brics é um momento para se discutir oportunidades de negócios para a cidade do Rio nas áreas de saúde, educação, administração pública, turismo, meio ambiente, inovação, cultura, assim como promover parcerias público-privadas.

O evento também reforça o diálogo e a inserção do município ao lado de metrópoles dos países do Brics, como Moscou (Rússia), Nova Délhi (Índia), Pequim (China) e Johanesburgo (África do Sul).

A reunião organizada pelo Governo Federal, que acontece de 22 a 26 de julho no Rio, marca as atividades formais da presidência de turno brasileira do Brics. Nos primeiros dias da cúpula, as delegações e altos representantes das chancelarias desses países – denominados “sherpas” (vice-ministros encarregados do Brics) – discutiram as prioridades do grupo e o andamento das iniciativas de cooperação em curso.

Nos dias 25 e 26, os ministros das Relações Exteriores das nações que compõe o bloco deverão vir à cidade para ratificar os acordos estabelecidos. Em novembro, em Brasília, será realizada a cúpula do bloco, com a participação dos presidentes do Brics, fechando o ciclo da presidência temporária do Brasil do bloco.