Número de roubos de veículos no Fundão é reduzido a zero após implantação do Rio+Seguro

Publicado em 18/09/2019 - 18:37 | Atualizado em 19/09/2019 - 10:15
Agentes do Rio+Seguro no Fundão: bons resultados. Foto: Maurício Val / Prefeitura do RioAgentes do Rio+Seguro no Fundão: bons resultados. Foto: Maurício Val / Prefeitura do Rio

A implantação do Rio+Seguro, programa da Prefeitura do Rio de Janeiro em apoio à segurança pública, zerou os roubos de veículos na Cidade Universitária, no Fundão. Segundo levantamento da coordenação do programa, esse tipo de crime no território que abrange o complexo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) caiu de 16 registros, entre julho e setembro (até dia 17) de 2018, para apenas dois no mesmo período de 2019. Só que esses dois casos ocorreram na Linha Amarela, que fica fora da área de atuação do projeto.

Inaugurado em junho deste ano numa parceria entre a Prefeitura e a administração da UFRJ, o Rio+Seguro Fundão conta com reforço de 23 agentes (13 policiais militares e 10 guardas municipais) por dia, divididos em turnos, para o patrulhamento das vias internas da Cidade Universitária. O programa conta ainda com sede (na Praça Jorge Machado Moreira), três viaturas e quatro motocicletas, funcionando de segunda a sexta, das 6h à meia-noite, e aos sábados, das 6h às 18h, períodos de maior movimento.

A Cidade Universitária é a segunda área a receber o programa pioneiro. Implantado no dia 3 de dezembro de 2017 em Copacabana e Leme, o Rio+Seguro utiliza reforço diário de policiais militares (contratados durante a folga) e guardas municipais em ações de patrulhamento urbano, além de promover a integração com outros órgãos municipais e estaduais para a resolução de problemas de ordenamento.

Diferentemente da operação em Copacabana e Leme – que também contempla o Parque Garota de Ipanema, no Arpoador -, em que a Prefeitura arca com o pagamento de PMs por meio do PROEIS – Programa Estadual de Integração na Segurança, o Rio+Seguro Fundão é custeado pela UFRJ com investimento de aproximadamente R$ 2 milhão por ano.

  • 18 de setembro de 2019