Mais 200 vendedores ambulantes passam a trabalhar de forma legalizada no Rio

Publicado em 24/09/2019 - 08:23 | Atualizado
Duzentos vendedores ambulantes, que esperavam há anos pela legalização de suas atividades, receberam seus crachás nesta segunda-feira. Fotos: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta segunda-feira, dia 23 de setembro, mais 200 crachás de identificação do Programa Ambulante Legal. O evento, no Palácio da Cidade, em Botafogo, reuniu titulares de licenças para comércio ambulante que atuam em 14 bairros da Zona Sul: Arpoador, Botafogo, Catete, Copacabana, Cosme Velho, Flamengo, Gávea, Glória, Ipanema, Jardim Botânico, Lagoa, Laranjeiras, São Conrado e Urca.

– Este crachá dará dignidade ao trabalho de vocês. Todos que estiverem nas ruas serão respeitados por estarem com um documento oficial, que, inclusive, ajudará na fiscalização. Por sinal, vocês perceberam que nesta gestão acabou aquela história de choque de ordem, com ordem para os ricos e choque nos pobres? É dignidade para o povo trabalhador – afirmou o prefeito durante a cerimônia.

O programa já alcançou 48 bairros na cidade e  distribuiu 3.427 crachás com QR code, código de barras bidimensional de resposta rápida que permite não só a fiscalização, mas também a população acessar informações como o nome, o número de inscrição e as mercadorias que o ambulante está autorizado a comercializar. Além disso, por meio da tecnologia, também é possível verificar o local em que aquele ambulante pode atuar na cidade, respeitando o ordenamento urbano. A subsecretária de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano, Maria Elisa Werneck, explicou o que a Prefeitura pretende com o projeto.

– Nosso objetivo é que todos vocês possam sustentar suas famílias, dignamente, com sua força de trabalho, de forma ordenada e legal – disse.

Representante dos ambulantes, Igor Lourenço de Paiva foi ao palco e teve a oportunidade de agradecer em nome dos 200 trabalhadores que foram ao Palácio da Cidade.

– Não tenho como expressar a alegria que sinto em meu coração neste momento. Gostaria de agradecer ao prefeito Marcelo Crivella em nome de todos nós. Esse crachá vai mudar o rumo das nossas vidas e do nosso trabalho – emocionou-se.

O primeiro a receber o documento foi o ambulante João Mendes, cadeirante que fez questão de ir até o Palácio da Cidade para participar da cerimônia de entrega.

– Esperei minha vida toda para ter a segurança que esse crachá vai dar ao meu trabalho, meu sustento – comemorou.

Para Giselda Rodrigues Lima, 57 anos, o evento foi uma festa familiar. Ela levou a neta Yasmin Silva de Lima Fernandes, 15 anos, que se emocionou ao ser chamada pelo prefeito para estar na foto ao lado da avó.

– Minha avó está sendo valorizada. O povo falava muito, mas agora ela tem este crachá e será respeitada. Além disso, representa um futuro melhor para nós – comemorou a estudante da Escola Municipal João Saldanha, na Rua da Passagem, em Botafogo.

 

Giselda e sua neta Yasmin: emoção em família na hora do recebimento do crachá que legaliza a venda de bijuterias. Fotos: Marcelo Piu/Prefeitura do Rio

 

Vendedora de bijuterias na esquina das ruas São Clemente e Muniz Barreto, em Botafogo, Giselda acredita que o documento será a segurança que precisava para trabalhar com tranquilidade.

– Antigamente tinha uns guardas municipais truculentos. Isso já melhorou muito, mas ter a autorização é uma garantia para o nosso futuro – explica a ambulante, que cria a neta com o dinheiro que ganha nas ruas.

Além das regiões contempladas no evento, os bairros de Leme, Méier, Feira do Calçadão de Bangu, Campo Grande, Santa Cruz, Saúde, Benfica, Caju, Centro, Coelho Neto, Mangueira, Paquetá, , Santo Cristo, São Cristóvão, Turiaçu, Anchieta, Barros Filho, Bento Ribeiro, Cascadura, Guadalupe, Irajá, Leblon, Madureira, Marechal Hermes, Oswaldo Cruz, Parque Anchieta, Parque Columbia, Pavuna, Ricardo de Albuquerque, Rocha Miranda, Vicente de Carvalho, Vila da Penha, Vila Kosmos e Vista Alegre também já foram alcançados pela política de ordenamento urbano implantada pela atual administração.

Os documentos foram  entregues pessoalmente por Crivella, que lançou o programa em agosto de 2018.  O Ambulante Legal  tem o objetivo de organizar e facilitar a identificação dos ambulantes autorizados a trabalhar na cidade, propondo, inclusive, a implantação de políticas públicas de qualificação profissional aos trabalhadores. O programa também observa o comércio da região, de forma que a organização dos ambulantes não cause qualquer prejuízo ou conflito com o comércio estabelecido no local. Também participaram do evento o  secretário municipal de Ordem Pública, Paulo Amendola, e a comandante da GM-Rio, inspetora Tatiana Mendes.