Copa América: Vigilância Sanitária contabiliza mais de 1.100 inspeções

Publicado em 12/07/2019 - 18:35 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Copa América: Vigilância Sanitária contabiliza mais de 1.100 inspeções
Técnicos orientaram comerciantes sobre uma série de ações e protocolos de prevenção aos riscos à saúde. Foto: Prefeitura do Rio

Com o encerramento da Copa América 2019, os craques da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) fecharam mais uma operação especial de prevenção aos riscos da saúde pública em eventos de massa contabilizando 1.142 inspeções realizadas. O número reflete toda a ação iniciada em 14 de janeiro com as prévias que passaram por hotéis, cozinhas, centros de treinamento, comércios de alimentos, shoppings e o Macaranã. A partir de 14 de junho, abertura do torneio internacional, as vistorias foram mantidas na Fan Fest, na Praça Mauá, em dias de jogos do Brasil, e ainda no Maracanã e nos comércios do entorno nas disputas que aconteceram no estádio.

As mais de 1.100 inspeções resultaram em 322 infrações, a maioria por falta de asseio em estabelecimentos de alimentos, e no descarte de 142 quilos de produtos impróprios ao consumo. Do total, 39 estabelecimentos foram interditados, com 372 termos de intimação emitidos com exigências como dedetização, limpeza de depósitos e de reservatórios de água e adequações estruturais com prazos para serem cumpridas. Ainda durante a operação, técnicos coletaram 311 amostras de alimentos, e 34 amostras de água, todas analisadas no Laboratório Municipal de Saúde Pública (LASP).

 

Vistorias passaram por hotéis, cozinhas, centros de treinamento, shoppings, Fan Fest e Maracanã. Foto: Prefeitura do Rio

 

– Nosso objetivo é conferir os mais diversos locais, sempre com orientações para que, na hora do evento, esteja tudo de acordo com as exigências, e assim minimizarmos os riscos à saúde da população – reforça o médico-veterinário Flávio Graça, superintendente de Educação da Vigilância, área responsável por capacitar ambulantes e profissionais em geral que atuam nos eventos.

Só para a Copa América, foram mais de 400 pessoas capacitadas em cursos realizados, em sua maioria, na sede da Vigilância. As vistorias foram feitas por técnicos das coordenações de Alimentos, Saúde e Engenharia. Além de médicos-veterinários – o carro-chefe do quadro da Vigilância Sanitária – há enfermeiros, engenheiros, arquitetos, dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e até um físico, entre outros profissionais.

Ações prévias – Como vem fazendo há dois anos em grandes eventos que acontecem no Rio, a Vigilância Sanitária investiu nas prévias para a Copa América como forma de levar orientação e exigir de estabelecimentos as adequações para minimizar problemas durante a competição. “Essa estratégia de inspeções prévias e mais capacitação em higiene na manipulação de alimentos tem proporcionado resultados cada vez melhores. Agora mesmo na Copa América fizemos mais de 1.100 vistorias em menos de seis meses, com uma significativa redução no descarte de alimentos impróprios ao consumo. Inutilizamos 142 quilos, sendo que em eventos anteriores do mesmo porte chegamos a ter mais de 2 mil quilos descartados”, comemora a médica-veterinária Marissol Figueiredo, coordenadora de Eventos da Vigilância, já programando as operações para os próximos grandes eventos no Rio: o Game XP, que acontece de 25 a 28 de junho, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, e o Rock In Rio, em setembro.