Centro de Operações Rio recebe medalha Tiradentes, mais alta honraria estadual

Publicado em 15/08/2019 - 15:52 | Atualizado
A Medalha Tiradentes ganha pela equipe do COR, no detalhe. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

O Centro de Operações Rio (COR) foi agraciado com a mais alta honraria do Legislativo fluminense pela excelência dos serviços prestados ao Rio de Janeiro. Apesar de ser municipal, ele integra órgãos estaduais também. A honraria foi proposta pelo deputado estadual Jorge Felippe Neto.

Durante a cerimônia, o chefe executivo de Resiliência e Operações, Alexandre Cardeman, falou da importância do reconhecimento do trabalho do COR pela Assembleia Legislativa:

– Esta homenagem representa o reconhecimento da sociedade do nosso Estado e do Município ao que fazemos no dia a dia e nada é tão recompensador como isto.

Alexandre Cardeman (à esquerda), chefe executivo de Resiliência e Operações do COR, recebe a medalha Tiradentes em nome de toda a equipe do órgão. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio
Alexandre Cardeman (à esquerda), chefe executivo de Resiliência e Operações do COR, recebe a medalha Tiradentes em nome de toda a equipe do órgão. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

A solenidade contou com a presença do Secretário de Ordem Pública, Paulo Amendola, além do presidente da Fundação Parques e Jardins, Fernando Gonzales, do presidente do Iplan Rio, Julio Urdangarin, do Coordenador de Operações, Marcello Vairão, e do diretor de Inovação da Fomenta.Rio e assessor especial de inovação da Fazenda, Leonardo Soares.

Serviços integrados de 30 órgãos

O Centro de Operações Rio é o quartel-general de integração das operações urbanas no município. Cerca de 30 órgãos (secretarias municipais e concessionárias de serviços públicos) estão integrados no edifício para monitorar a operação da cidade e minimizar seus impactos na rotina do cidadão ou durante a realização de grandes eventos.

Durante 24 horas por dia, nos sete dias da semana, o COR busca antecipar soluções, alertando os setores responsáveis sobre os riscos e as medidas urgentes que devem ser tomadas em casos de emergências, como chuvas fortes, deslizamentos e acidentes de trânsito. Mais de 500 profissionais se revezam em diferentes turnos no monitoramento da cidade.

  • 15 de agosto de 2019