Prefeitura promove Baile da Melhor Idade, que reúne 1,2 mil no Dia Mundial da Pessoa Idosa

Publicado em 01/10/2019 - 18:47 | Atualizado em 02/10/2019 - 17:29
O Baile da Melhor Idade, no Monte Líbano, é a terceira edição do programa da Prefeitura voltado para o entretenimento de idosos. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do RioO Baile da Melhor Idade, no Monte Líbano, é a terceira edição do programa da Prefeitura voltado para o entretenimento de idosos. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

Não é só dançar. Quando os pés deslizam pelo salão e os quadris se mexem ao ritmo da orquestra, é como se o tempo nunca tivesse passado. Para muitos que estão ali, no Baile da Melhor Idade, que em sua 3ª edição levou 1,2 mil pessoas ao Clube Monte Líbano, na Lagoa, nesta terça-feira, 1º de outubro, Dia Mundial da Pessoa Idosa, a festa se traduz por reencontro. Com a alegria, com o bem-estar. Com o prazer de viver.

Os casais se divertem no Baile da Melhor Idade: bolero, rumba, merenegue, maxixe, chá-chá-chá. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
Os casais se divertem no Baile da Melhor Idade: bolero, rumba, merenegue, maxixe, chá-chá-chá. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

– É bom para a cabeça e o corpo. A dança é ótima para as pessoas, e quem fica em casa não faz ideia do que está perdendo. Os bailes estão muito aprovados. Vim pela primeira vez e virei várias outras vezes, sempre que tiver um – contou, num intervalo para descanso dos músicos, a dona de casa Lindalva dos Anjos, 65 anos, que faz parte do Chama de Amor, grupo que reúne senhoras apaixonadas pela dança, seja ela qual for.

Carlos Alberto faz amizades no baile e pratica dança de salão há 20 anos. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
Carlos Alberto faz amizades no baile e pratica dança de salão há 20 anos. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O baile, organizado pela Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, já fez a felicidade de quatro mil idosos, somadas as três edições. E outras virão. Amizades nascem ali. Às vezes, até algo mais.

– A gente faz muita amizade aqui, com pessoas de bairros diferentes. Mas também paquera. Nessa idade da gente, a paquera é importante, sim. Fiz 20 anos de dança de salão, e continuo fazendo. Espero que continue tendo esses eventos para a terceira idade. Para as senhoras, é um glamour. Elas botam maquiagem, colocam um vestido bonito, se arrumam para a ocasião. É muito importante – contou o professor de educação física aposentado Carlos Alberto Vitorino, 70 anos, um elegante pé de valsa que também caprichou no vestuário, com uma combinação de camisa estampada, calça branca e óculos escuros.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, acompanhado do secretário municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel, prestigiou o baile, no meio da tarde. E celebrou com os idosos.

– O baile está lindo, assim como esse projeto, tocado pela secretaria. Temos compromisso com as pessoas da melhor idade e vamos manter esse compromisso, por intermédio das casas de convivência, dos bailes e do programa Rio Ar Livre (RAL, que tem 141 grupos na cidade e oferece exercícios físicos e dança para os idosos em praças públicas, de graça) – comentou Crivella.

Dezenas de frequentadores das sete casas de convivência da rede municipal – que oferecem recreação, jogos, capoeira e atividades variadas, de segunda a sexta – participaram do baile no Monte Líbano. Além de conversar e dançar, eles assistiram a apresentações da Banda Brasil Show, do cantor Marcos Vivan e da bailarina de flamenco Natália Casanova.

– Estamos fazendo manutenção nas casas de convivência, com reforma em todas elas. Nos projetos RAL, o salário dos profissionais está em dia. Retornamos com os nossos bailes da Melhor Idade, com transporte, lanche, água. Temos feito passeios também com os idosos. Esse é o nosso trabalho – descreveu Felipe Michel.

A dançarina de flamenco Natália Casanova se apresentou no palco do Baile da Melhor Idade, no Monte Líbano. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
A dançarina de flamenco Natália Casanova se apresentou no palco do Baile da Melhor Idade, no Monte Líbano. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
No Monte Líbano, cerca de 1,2 pessoas prestigiaram o Baile da Melhor Idade. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
No Monte Líbano, cerca de 1,2 pessoas prestigiaram o Baile da Melhor Idade. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

Sobre o Dia Mundial da Pessoa Idosa

Em 2006, a ONU determinou que o Dia Mundial da Pessoa Idosa fosse comemorado em 1º de outubro, em homenagem à criação do estatuto voltado para essa população, que não para de crescer no Brasil. Segundo o IBGE, o país tinha 28 milhões de idosos em 2017, representando 13,5% do total de habitantes. Em dez anos, a estimativa é de que chegará a 38,5 milhões.

Neste 1º de outubro, para comemorar a data, a secretaria também promoveu aulão de ginástica e de dança para os alunos do RAL, no Posto 3, em Copacabana. Segundo o IBGE, o bairro tem 43.431 moradores com 60 anos ou mais, ou seja: eles são quase um terço da população da região.

http://noticias.prefeitura.rio/rio-acontece/portela-abre-sua-quadra-para-baile-da-melhor-idade-realizado-por-secretaria-municipal/

http://noticias.prefeitura.rio/rio-acontece-noticias/baile-da-melhor-idade-volta-apos-mais-de-um-ano-e-anima-800-pessoas-na-abertura-de-agosto/