Transportes: ano é marcado por projeto de reestruturação do sistema

Publicado em 31/12/2021 - 08:13 | Atualizado em 31/12/2021 - 06:04
A Prefeitura fez a intervenção no BRT para reformular todo o sistema - Prefeitura do Rio

Diante da crise no setor que se estende desde 2015, agravada severamente durante a pandemia, a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) desenvolveu um projeto amplo de reestruturação do sistema de transporte público durante este ano de 2021. O objetivo é reformular o atual modelo de gestão para garantir maior transparência financeira e poder regulatório do município, planejamento com dados confiáveis e melhoria dos serviços prestados à população. E muito se avançou neste sentido, sobretudo com o preparo das licitações da bilhetagem digital e da renovação de frota e operação dos serviços do sistema BRT, previstas para o próximo ano.

Inédita nas capitais brasileiras e já adotada em diversos países, a bilhetagem digital dará ao município o controle da arrecadação tarifária e o monitoramento da demanda de passageiros em todas as linhas, além de acabar com o estigma da “caixa preta” do transporte público.

Para a requalificação do sistema BRT, a licitação será feita de forma separada, em duas fases: a primeira para a aquisição de frota, possibilitando a substituição gradativa dos ônibus antigos; e a segunda para a concessão da operação dos serviços do sistema. O novo formato possibilitará uma melhora no atendimento à população, com mais veículos, menos lotação e intervalos menores entre os ônibus.

 

– Avançamos e tivemos muitos resultados positivos. Reformamos 46 estações do BRT e hoje terminamos o ano com todo o sistema funcionando. Quando assumimos a gestão, um terço das estações estavam fechadas – disse a secretária Municipal de Transportes, Maína Celidonio.

 

Intervenção do BRT

O BRT contou com outras ações ao longo do ano de 2021. Entre as melhorias, ressalta-se a intervenção do sistema ocorrida em março deste ano, com a adoção de uma série de medidas, como a reforma e reabertura de 46 estações fechadas. Outras 79 em atividade serão revitalizadas. Houve também aumento da frota, que passou de 120 veículos articulados para 215.

Foram implementados quatro serviços eventuais, conhecidos como “diretões”, inserindo 80 ônibus convencionais no corredor Transoeste para atender a cerca de 20 mil passageiros por dia. Essa ação emergencial garantiu a manutenção do serviço nos horários de pico, em que a disponibilidade de articulados era mais crítica. Hoje o serviço permanece em funcionamento entre a estação Santa Cruz e o Terminal Alvorada, e também no trecho entre Pingo D’Água e Alvorada (via Magarça).

Os usuários contaram ainda com um reforço na segurança por meio do programa BRT Seguro. Desde junho, cerca de 130 agentes fazem diariamente o patrulhamento nas estações. Além disso, foi implementado o BRT Rosa, com espaço exclusivo para mulheres e crianças nos horários de pico. O projeto-piloto começou pela linha 17 (Campo Grande x Santa Cruz – Parador), que circula na Avenida Cesário de Melo, no corredor Transoeste.

A demanda crescente de passageiros mostra a melhoria do sistema BRT, que passou de 190 mil usuários por dia em janeiro/2021 para 236 mil usuários em novembro/2021.

 

Ônibus comum e aplicação automática de multas

Todas as linhas de ônibus foram georreferenciadas pela primeira vez, a partir de um levantamento de cadastros existentes e de alterações operacionais que ainda não tinham sido registradas. A partir disso, foi elaborado um estudo sobre todas as linhas que foram extintas, alteradas e criadas desde o contrato de concessão de 2010, a fim de identificar ligações que ficaram desatendidas por estas modificações na rede.

Foi realizada a revisão da frota determinada de todas as linhas com base na demanda mais atual e, a partir deste trabalho, desenvolveu-se uma ferramenta de monitoramento e fiscalização automática que permite ao município verificar em tempo real por GPS a frota operante de todas as linhas da cidade e aplicar automaticamente a multa prevista em contrato.

 

BRS

Para manter a finalidade das faixas seletivas de Bus Rapid System (BRS) e assegurar a redução do tempo de deslocamento de passageiros do sistema de transporte público coletivo, foi publicada uma resolução restabelecendo a prioridade para ônibus e táxis. Na gestão anterior, outros veículos haviam sido autorizados a circular nas faixas seletivas.

Além disso, foi anunciada a revitalização e ampliação dos corredores de BRS na cidade. Hoje são 21 corredores, com 56,8 km de extensão. Com a ampliação gradativa da rede, com início previsto para 2022, serão 72 novos corredores, com 172,8 km, até 2024, totalizando 230 km.

 

Táxi

Em abril, foi suspenso o calendário de vistoria anual para os táxis, por meio de uma resolução conjunta entre a SMTR e a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento. A determinação foi mais uma medida de segurança para o combate à Covid-19, e teve também como objetivo ajudar a categoria, principalmente num momento crítico da pandemia, em que a cidade ainda estava paralisada, deixando a arrecadação dos profissionais ainda mais comprometida.

Além disso, também foi publicado um decreto prorrogando o prazo para a troca de táxis fabricados nos anos de 2010 e 2011. A mudança, que deveria acontecer em 2020 e 2021, respectivamente, poderá ser feita até o fim de 2022. E, até o fim do ano que vem, a categoria estará liberada para apresentar carros fabricados a partir de 2013. Antes só eram aceitos veículos com seis anos de fabricação.

 

Vans

A SMTR está cadastrando permissionários de vans licitadas para o transporte de passageiros na cidade e realizando o levantamento de vagas ociosas no sistema por desistências ou óbitos, para futura licitação, sem data prevista, visando a reocupação e cadastro de reserva.

 

Tecnologia

Foi criado o Sigmob (Sistema de Gestão da Mobilidade) com diversos produtos de monitoramento por GPS (como o sistema de aplicação automática de multas): arquivo de linhas e serviços, frota determinada, tipos de veículos, itinerários georreferenciados com paradas e frequências dos modos de transporte geridos pela Secretaria Municipal de Transportes. Ou seja, tudo que tem relação com os serviços de transporte da cidade. A partir desse sistema, será gerado o GTFS: General Transit Feed Specification ou Especificação Geral de Feed de Trânsito, padrão internacional utilizado para modos de transporte. Nesse mesmo repositório, estará cadastrado todo o mobiliário urbano de mobilidade da cidade.

A SMTR também disponibilizou em seu site as informações dos últimos cinco anos sobre toda a operação de ônibus na cidade. Os dados podem ser conferidos na área “Transparência da Mobilidade”. Além de detalhes sobre as linhas em circulação por faixa de horário, é possível conhecer também o número de passageiros transportados no período, as multas aplicadas e os ônibus licenciados, além dos registros financeiros informados pelos consórcios. Em 11 anos de contrato entre a prefeitura e os quatro consórcios de ônibus, essas informações nunca foram abertas com tanta transparência para a população.

 

Ônibus elétrico em Madureira

Em parceria com a Secretaria de Cultura e a Subprefeitura da Zona Norte, foi lançado o programa “Verão Verde”, que leva cariocas e visitantes em um percurso pelos principais pontos turísticos de Madureira, um dos bairros mais culturais da Zona Norte, com perfil de inovação e economia criativa. O passeio é feito de forma ecologicamente correta, em um veículo sem emissão de ruídos e de gases poluentes. É o primeiro ônibus elétrico a circular na cidade.

 

Ampliação da Rede de Mobilidade por Bicicleta (RMB)

A Prefeitura publicou este ano decreto que amplia a Rede de Mobilidade por Bicicleta (RMB). As novas ciclovias, previstas nos estudos desenvolvidos para o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável do Município do Rio de Janeiro (PMUS-Rio), deverão ter percursos e usos seguros e equilibrados para pedestres, ciclistas e usuários dos demais modos ativos. Está em desenvolvimento o Plano Cicloviário, que começará a ser debatido com a sociedade civil no primeiro semestre de 2022.

 

Fiscalização

Desde o início do ano, a SMTR realizou mais de seis mil abordagens em ações de fiscalização. Mais de 5,8 mil denúncias foram atendidas e cerca de 7,5 mil multas foram aplicadas.

 

Revitalização dos postos de atendimento descentralizados

Os postos de Bangu, Praça Seca, Ilha do Governador, Irajá, Engenho Novo e Centro passaram por obras que incluem reforma geral, pintura e troca de iluminação. Além de proporcionar melhores condições para receber a população, o objetivo é garantir também ambientes de trabalho mais saudáveis para os servidores que atuam nesses setores.

  • 31 de dezembro de 2021