Boletim da Covid-19: Cidade se mantém em risco baixo para a transmissão da doença

Publicado em 05/11/2021 - 11:53 | Atualizado em 05/11/2021 - 13:20
  • Início/
  • /
  • Boletim da Covid-19: Cidade se mantém em risco baixo para a transmissão da doença
Cidade se mantém em risco baixo para a transmissão da Covid-19 - Arquivo/Prefeitura do Rio

A 44ª edição do Boletim Epidemiológico Covid-19 do Rio, que a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou nesta sexta-feira (5/11), apresenta, pela segunda semana seguida, o mapa de risco da cidade para transmissão do coronavírus por inteiro na classificação verde. Todas as 33 regiões administrativas do município estão no estágio de atenção de risco baixo no indicador que considera as internações e óbitos.

Além desses dois índices, casos notificados por Covid-19 e os atendimentos na rede de urgência e emergência por síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave na capital também mantêm a tendência de queda sustentada. Na última quarta-feira (3/11), o município do Rio registrou o menor número de internados pela doença desde o início da pandemia: eram 127 pessoas, ou seja, apenas 2% do total de internações na capital. Outro dado de destaque é que 82% das unidades de saúde não registraram internações por Covid  nos últimos sete dias – mais um reflexo da alta cobertura vacinal da cidade.

O boletim mostra que, desde março de 2020, o município do Rio soma 491.711 casos de Covid-19, com 35.075 óbitos. Em 2021, são 275.212 casos e 15.978 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 5,8%, contra 8,8% em 2020; e a de mortalidade, em 239,9 a cada 100 mil habitantes, contra 286,7/100 mil no ano passado. A incidência da doença é de 4.131,5/100 mil, quando em 2020 era de 3.250,1/100 mil.

Mais informações sobre o cenário epidemiológico da Covid-19 no Município do Rio estão disponíveis em coronavirus.rio/painel.

 

Vacinação

 

Nesta sexta (5/11) e no sábado (6/11), podem receber a primeira dose (D1) da vacina contra Covid todos os cariocas com 12 anos ou mais; e a segunda (D2) quem tem a data agendada. Já a dose de reforço (DR) estará disponível para idosos com 63 anos ou mais; além de pessoas com alto grau de imunossupressão com 12 anos ou mais; e profissionais da saúde que tomaram a D2 em maio. Nesta quinta-feira (4/11), a SMS anunciou a antecipação da D2 de Pfizer para adultos a partir de 20 anos: o intervalo, antes de 12 semanas, foi reduzido para apenas três.

Até esta quinta (4/11), 5.764.902 pessoas haviam tomado a D1 das vacinas contra a Covid-19. Com o esquema vacinal completo (duas doses ou dose única), já são 4.606.878 pessoas, o que representa uma cobertura de 68,3% da população total e de 87,2% da população adulta (a partir de 18 anos). A DR em idosos e pessoas com alto grau de imunossupressão soma 799.846 aplicações até agora.

A SMS-Rio disponibiliza pontos de vacinação por todas as áreas da cidade, funcionando de segunda-feira a sábado, para facilitar o acesso da população à vacina. A lista desses pontos, seus horários de funcionamento, o calendário de vacinação, solicitação de imunização em domicílio e outras informações estão disponíveis em coronavirus.rio/vacina e nas redes sociais da SMS e da Prefeitura do Rio.

 

Eventos-teste

Vinte e quatro eventos-teste autorizados pelo Instituto Municipal de Vigilância Sanitária (Ivisa) já completaram o prazo de 14 dias posteriores de monitoramento do público presente. Para acessar cada um deles, as pessoas precisavam estar comprovadamente testadas e vacinadas.Todos os eventos-teste apresentaram taxa de incidência menor do que o Município do Rio no momento da sua realização.

Mais detalhes dos resultados dos eventos-teste constam nos boletins epidemiológicos, disponíveis em coronavirus.rio/material-informativo.

  • 5 de novembro de 2021