Prefeitura do Rio e Polícia Militar Ambiental desarticulam extração ilegal de mineral na Zona Oeste

Publicado em 05/01/2022 - 13:36 | Atualizado em 05/01/2022 - 14:03
A retroescavadeira utilizada para a extração ilegal de mineral foi destruída - Prefeitura do Rio

Uma operação da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio com Polícia Militar Ambiental desarticulou, na manhã desta quarta-feira (5/1), uma exploração ilegal de minerais, em Santa Cruz, Zona Oeste da cidade. A ação teve apoio aéreo do Grupamento Aeromovel da PM. Os crimes ambientais ocorriam na Rua da Manga, a 1,5 quilômetro, em linha reta, da estação ferroviária de Tancredo Neves.

Fiscais destruíram uma retroescavadeira utilizada na prática da infração, ateando fogo no equipamento, conforme o decreto 6.514/08, da Lei de Crimes Ambientais. Expediente comum em ações na Amazônia, trata-se de uma prática inédita em território de Mata Atlântica.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, reforçou que o duro combate à destruição do meio ambiente na cidade continua.

 

– A retirada de saibro sem autorização do órgão ambiental, além de configurar crime de usurpação do patrimônio da União (subsolo), causa graves prejuízos ambientais, como a supressão da vegetação, o afugentamento de animais, a contaminação da água por combustíveis e óleos lubrificantes. Agora há comando e repressão a essas atividades criminosas.

 

Há menos de dois meses (no dia 11 de novembro de 2021) o mesmo local foi alvo de uma operação da Secretaria, mas as atividades continuaram. Na época, uma escavadeira (de esteira) não foi apreendida, por estar sem condições de se locomover. Agentes da Prefeitura e da PM descobriram tratar-se de uma estratégia dos milicianos para a máquina não ser apreendida e permanecer retirando saibro e carregando os caminhões.

 

 

O mesmo local já tinha sido alvo de uma operação há menos de dois meses – Prefeitura do Rio

 

 

  • 5 de janeiro de 2022