Floresta dos Atletas começa a receber 13 mil mudas de 207 espécies da Mata Atlântica

Publicado em 25/09/2019 - 15:28 | Atualizado em 26/09/2019 - 09:46
Estudantes da rede municipal do Rio ajudam a plantar. mudas na Floresta dos Atletas. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do RioEstudantes da rede municipal do Rio ajudam a plantar. mudas na Floresta dos Atletas. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

O plantio da Floresta dos Atletas, em Deodoro, Zona Oeste da cidade, teve início nesta quarta-feira, 25 de setembro. Com a ação, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, cumpre uma promessa feita ao mundo durante a Olimpíada de 2016. A área verde vai abrigar 13.725 mudas de 207 espécies da Mata Atlântica e honrar um compromisso feito ao vivo para três bilhões de pessoas no planeta, além de resgatar uma área degradada nas últimas décadas.

– Isso que estamos fazendo aqui é parte de um grande esforço. Essas mudas são um tesouro. Três anos se passaram, e as pessoas se perguntavam onde estava a Floresta dos Atletas. Até que a união do Meio Ambiente, do Legado Olímpico, do Exército e da Procuradoria Geral do Município possibilitou que esse compromisso firmado na Olimpíada fosse cumprido – celebrou Crivella, durante cerimônia no Parque Radical, em Deodoro.

Na festa de abertura da Rio 2016, atletas depositaram, em pequenos tubos, sementes de 207 espécies da Mata Atlântica, representando o número de países que participariam da competição. Foi a primeira Olimpíada a ter um compromisso ambiental.

O atleta Diego Hypólito, medalha de prata no exercício de solo na Olimpíada do Rio, em 2016, planta uma das mudas da floresta. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio
O atleta Diego Hypólito, medalha de prata no exercício de solo na Olimpíada do Rio, em 2016, planta uma das mudas da floresta. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Três anos depois dos Jogos, a Prefeitura do Rio tornou possível essa promessa sem usar recursos públicos. Para investir os R$ 3 milhões necessários para o plantio das 13.752 mudas na área de cinco hectares, em Deodoro, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente  utilizou “compensações ambientais”. Trata-se de um mecanismo legal de contrapartida para que empresas cujas atividades causem impacto ao meio ambiente compensem os danos plantando árvores em áreas determinadas pela secretaria.

– Estamos honrando o nome de nossa cidade e nosso país. E para que não seja mais uma ação desconectada de políticas públicas mais abrangentes, a Floresta dos Atletas será parte de um amplo programa de reflorestamento, que estamos planejando – comemorou o secretário municipal de Meio Ambiente, Marcelo Queiroz.

Das 207 espécies selecionadas, 42 correm algum risco de extinção e 92 dão frutos que atraem a fauna e podem ser consumidos.

– Foi uma maratona, mas cruzamos a linha de chegada. Tivemos paciência e sabedoria para chegar à melhor solução. Encontramos parceiros com capacidade e generosidade, que priorizaram esse projeto. Esse é um legado ambiental para o Brasil e o mundo – disse a subsecretária municipal do Legado Olímpico, Patrícia Amorim.

Muda de pau-brasil, representativa da delegação brasileira nos Jogos Rio-2016. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio
Muda de pau-brasil, representativa da delegação brasileira nos Jogos Rio-2016. Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

A primeira fase do plantio da Floresta dos Atletas vai receber 75 espécies, entre elas mudas de Pau-Brasil, Pau-Ferro, Jequitibá, Aldrago e de árvores frutíferas como Pitanga, Cambucá e Grumixama.

http://noticias.prefeitura.rio/meio-ambiente/artigo-floresta-dos-atletas-resolvendo-o-passado-e-olhando-o-futuro/