Mais de 300 famílias em Paciência recebem RGIs e realizam o sonho da casa própria

Publicado em 11/09/2019 - 12:38 | Atualizado em 12/09/2019 - 12:51
Lucicleide Chalegre, que fez 50 anos ontem, diz que o maior presente de sua vida, o RGI, é o maior presente de sua vida. Foto: Marcos de Paula/ Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta quarta-feira, dia 11 de setembro, o Registro Geral de Imóveis (RGI) para 303 famílias que vivem no Condomínio Park Royal, em Paciência, Zona Oeste da cidade. O documento garante a propriedade dos apartamentos e significa a realização do sonho da casa própria.  O condomínio, inaugurado em 2012, tem 16 blocos de apartamentos. As famílias foram sorteadas pelo programa Minha Casa Minha Vida.

– Depois de sete anos, conseguimos essa vitória, de entregar os RGIs para as pessoas que vivem nesse condomínio. A pedido dos moradores, nós vamos consertar a quadra local, colocar parquinho para as crianças e  uma academia para a terceira idade. Também vamos providenciar um retorno (para entrada e saída do condomínio) mais perto e  sinal de trânsito mas imediações – afirmou Crivella.

O condomínio Park Royal, inaugurado em 2012, tem 16 blocos de apartamentos. As famílias foram sorteadas pelo programa Minha Casa Minha Vida. Foto: Marcos de Paula/ Prefeitura do Rio

 

O RGI representa um marco importante na vida de cada morador. Lucicleide Chalegre, de 50 anos, por exemplo, se disse radiante com a conquista do documento.

– Fiz aniversário ontem e hoje recebo o maior presente da minha vida. Na época do sorteio, no início da década, fui contemplada entre 140 mil inscritos. Sou muito abençoada – disse Lucicleide.

Já o casal Walter da Silva Ferreira, de 75 anos, e Maria da Conceição dos Santos, de 81 anos,  faz até novos planos para suas vidas.

– Agora, com o RGI, podemos até pensar em casamento de papel passado. Vivemos juntos há 16 anos, mas a insegurança de não ter certeza da propriedade, antes da posse desse documento, não nos dava coragem para uma união na igreja e no cartório. Estamos realizando um sonho – ressaltou Walter.

A partir do RGI, o casal Walter da Silva Ferreira, de 75 anos, e Maria da Conceição dos Santos, de 81, já faz novos planos para suas vidas. Foto: Marcos de Paula/ Prefeitura do Rio

Rosângela Inácio, de 42 anos, outra beneficiada com o RGI, salientou a importância de deixar um teto como herança para o filho Cleison, de 21 anos.

– Sou cadeirante desde os 4 anos de idade, nunca pude trabalhar.  Me aterrorizava a possibilidade de nunca ser dona, de verdade, do meu apartamento. Hoje passo a respirar aliviada, sabendo que ele (o filho) poderá herdar o imóvel – desabafou, lembrando que antes de ir para o condomínio vivia numa comunidade da Zona Oeste, onde, segundo ela,  os tiroteios eram constantes, tirando a tranquilidade dos moradores.

Rosângela Inácio, de 42 anos, beneficiada com o RGI, destacou a importância do documento, que vai possibilitar que seu filho receba o apartamento como herança. Foto: Marcos de Paula/ Prefeitura do Rio

O condomínio Park Royal é parte do programa Minha Casa Minha Vida, parceria da Prefeitura com o governo federal, via Caixa Econômica, para construção de habitações populares. Desde o início da atual gestão, a Prefeitura já beneficiou mais de 8 mil famílias do programa com o RGI, permitindo o acesso à escritura registrada, com valor de mercado. A previsão, até o fim desta gestão, é que mais de 10,5 mil famílias recebam o documento.

Nos últimos dois anos, já foram entregues cerca de 9 mil moradias construídas pelo Minha Casa Minha Vida, ajudando a realizar o sonho do  imóvel próprio para mais de 35 mil pessoas que vivem na cidade do Rio.

Saiba mais sobre o Minha Casa Minha Vida

Há duas formas de participação no programa: por reassentamento, quando famílias são retiradas de locais de risco ou são vítimas de desabamentos, deslizamentos ou temporais; ou por sorteio, quando o candidato se inscreve para ser contemplado com imóvel. O valor da prestação varia de R$ 80 a R$ 270 mensais.

Como fazer a inscrição

Os interessados devem ter mais de 18 anos e se inscrever na Rua da Constituição 34, no Centro. Para a adesão, é preciso apresentar a documentação original do titular do cadastro e do cônjuge, se houver.

 

Documentos necessários:

carteira de identidade;

certidão do registro civil;

CPF;

comprovante de residência;

contracheque ou comprovante de benefícios que prove renda;

certidão de nascimento de filhos menores de 18 anos.

Obs: Podem participar do programa pessoas que não possuem casa própria ou financiamento habitacional em qualquer localidade do Brasil e que nunca foram beneficiadas por programas de habitação social do governo.

  • 11 de setembro de 2019