Grupo musical da Comlurb sonha com a volta da ação educacional nas ruas do Rio

Publicado em 14/06/2021 - 09:34 | Atualizado
Cavaquinho e o pandeiro foram encontrados no lixo e recuperados - Marcos de Paula/Prefeitura

Há mais de um ano, o cavaquinho, o pandeiro e outros instrumentos estão guardados. Junto com a aceleração da vacinação contra a Covid-19 no Rio, cresce a expectativa do grupo Chegando de Surpresa, da Comlurb, de voltar a se apresentar pela ruas da cidade. São dez garis que promovem, com muita animação e samba no pé, a conscientização sobre o descarte correto de resíduos.

Eles paralisaram a batucada para não causar aglomeração. A ansiedade para o retorno é grande.

– Quando passar a pandemia, vamos vir com todo o gás para levar um pouco de alegria e falar sobre o meio ambiente para a população com músicas novas – disse a gari Denilce Silva Soares, funcionária da Comlurb há 20 anos e integrante do grupo há 16.

O exemplo de consciência ambiental vem dos próprios músicos. O cavaquinho e o pandeiro foram encontrados no lixo e recuperados. Há também instrumentos reciclados, como o carrilhão, feito com anel das latas de refrigerantes e cervejas, e o chocalho, com tampinhas de bebidas.

Desde outubro de 2001, o Chegando de Surpresa desenvolve um trabalho alegre e inovador, ensinando a população a não jogar papel e lixo no chão e a conservar ruas, calçadas, praias e canteiros limpos. Sempre com samba e dança. As mais de dez músicas são criações próprias.

Juntos, os dez componentes fazem apresentações descontraídas, seja durante operações especiais da Comlurb, em palestras em escolas municipais, em eventos na praia durante o verão ou em agendas de outros órgãos da Prefeitura.

 

Uma das últimas apresentações do grupo antes da pandemia – Marcos de Paula/Prefeitura

 

  • 14 de junho de 2021