Prefeitura realiza ação de higienização no hospital de campanha no Riocentro

Publicado em 21/04/2020 - 16:48 | Atualizado em 22/04/2020 - 13:59
Em média, são 40 garis realizando a higienização e limpeza do hospital .- Foto: Marco Antônio Rezende/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, inspecionou neste feriado (terça-feira, 21/04), a ação de higienização e limpeza feita pelos garis da Comlurb no hospital de campanha da Prefeitura, no Riocentro, construído para pacientes da Covid-19. A unidade terá 500 leitos, sendo 100 deles exclusivos de UTI.

A empresa municipal tem um efetivo médio de 40 garis nesse trabalho contínuo, podendo oscilar para mais ou menos, conforme a demanda.

– Fico impressionado com a garra de cada um dos garis da Comlurb, trabalhando para entregar limpo e higienizado o nosso hospital de campanha a quem precisar se tratar do vírus. É uma turma valente e que, a cada momento, fala aqui dentro da vontade de fazer a sua parte pelo próximo. O momento demonstra uma grande rede de ação e solidariedade – disse nesta manhã o prefeito.

Entrega de 2 mil lençóis

Na parte da tarde, foram entregues os primeiros 2 mil lençóis e 500 fronhas para uso no hospital de campanha. A roupa de cama foi doada pela empresa M3 manutenção. O prefeito agradeceu a doação, além de tantas outras que a Prefeitura tem recebido para atender à população nesse momento crítico de combate ao novo coronavírus.

– Vamos passar por toda essa crise o quanto antes, mas a hora de agir é agora e várias empresas têm sido presentes e solidárias com a população. Só tenho que agradecer em nome de toda a cidade – afirmou Crivella, acompanhado do secretário de Infraestrutura, Habitação e Conservação, Sebastião Bruno, e do subsecretário de Saúde Jorge Darze.

 

O hospital de campanha recebeu, nesta tarde, a primeira remessa de roupa de cama, doada por uma empresa. – Foto: Divulgação/Prefeitura

Hospital de campanha no Riocentro será gigante

Maior unidade de saúde da rede pública de todo o estado, com 16,5 mil metros quadrados de pavilhão e 13 mil metros quadrados de área construída, o hospital de campanha é gigante. São 500 leitos destinados a pacientes com o novo coronavírus, sendo 400 de clínica médica e 100 de UTI – entre os quais, 15 com recursos para hemodiálise.

O hospital do Riocentro só passará a internar pacientes a partir da ocupação de 70% do total de 381 leitos a que chegará o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência para tratamento de Covid-19. Os leitos no Gazolla são abertos, seguindo um cronograma que depende também da chegada e instalação de equipamentos, como respiradores, e da contratação gradual de profissionais de saúde pela RioSaúde, a empresa municipal destinada à administração da unidade de campanha, entre outras.

 

Prefeitura recebe 164 camas elétricas doadas para o hospital de campanha no Riocentro