Prefeitura prorroga medidas de proteção à vida e anuncia retorno de escolas na segunda-feira

Publicado em 02/04/2021 - 11:29 | Atualizado em 05/04/2021 - 14:09
O prefeito Eduardo Paes anunciou alguns setores que voltam a funcionar a partir de segunda-feira (05/04) - Ricardo Cassiano/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio prorrogou as medidas restritivas de proteção à vida até o dia 9 de abril, com a publicação do Decreto Nº 48706 no Diário Oficial desta sexta-feira (02/04). Ao longo da próxima semana, sob critérios de protocolo sanitário de prevenção à Covid-19, algumas atividades serão liberadas progressivamente: na segunda-feira (05/04), poderão voltar as escolas e os serviços da administração pública; e, na sexta-feira (09/04), os setores de comércios e serviços. A cidade segue na faixa de risco muito alto, e as atividades econômicas deverão funcionar de acordo com as medidas de proteção para esta classificação, estabelecidas na Resolução Conjunta SES/SMS nº 871, de 12 de janeiro de 2021. A 13ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19 foi divulgada hoje, no Centro de Operações Rio, na Cidade Nova.

– Meu desejo é o de abrir a cidade inteira, bares, restaurantes e boates, ter praias cheias. Mas o que vale aqui não é meu desejo e, sim, preservar vidas. E, para preservar vidas, a gente precisa de dados científicos. As medidas restritivas, ao contrário do que apregoam alguns personagens, elas funcionam, têm resultado. Menos contato, menos transmissão. Cada queda ou estabilização nessa curva significa um conjunto de pessoas que deixaram de morrer. É disso que a gente está tratando quando, infelizmente, toma a decisão de continuar com as restrições por mais uma semana.  Adoraria avançar e abrir a cidade, viver uma vida normal. Mas não dá ainda – disse o prefeito Eduardo Paes, durante a apresentação do boletim.

Além das escolas, creches e outros estabelecimentos de ensino, poderão voltar a funcionar na segunda-feira os setores da administração pública (das 8h às 17h – o serviço público essencial não parou). Já na sexta-feira, bares, lanchonetes, restaurantes, quiosques da orla e congêneres poderão receber clientes sentados até as 21h, com tolerância de 1h para efetivo encerramento do atendimento. Após esse horário, é admitido o funcionamento interno, com as portas cerradas, exclusivamente para o preparo de refeições e lanches destinados à entrega em domicílio, sendo vedado qualquer tipo de atendimento presencial ou consumo no local. É permitido também, após este horário, o sistema drive-thru.

Outros estabelecimentos e atividades comerciais também poderão funcionar a partir de sexta-feira em horários específicos. Clubes sociais e esportivos até 21h, com o acesso às áreas de lazer e recreação somente a partir das 11h. Atividades de entretenimento, como museus, cinemas, teatros, casas de festa, circos, recreação infantil, parques de diversões, pistas de patinação e visitações turísticas podem funcionar das 12h às 21h, assim como as demais atividades de prestação de serviços. Demais atividades comerciais, terão o horário de funcionamento das 10h às 18h. As atividades no interior de shopping e centros comerciais deverão funcionar observando as restrições de horário.

Permanece suspenso o funcionamento de boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculo; atividades econômicas nas areias das praias, incluindo ambulantes; comércio exercido em feiras especiais, feiras de ambulantes, feiras de antiquários e feirartes. Também continuam vetadas a permanência de pessoas nas vias, áreas e praças das 23h às 5h, e nas areias das praias, em parques e cachoeiras, em qualquer horário; a prática de atividades físicas coletivas em praias e praças ou áreas particulares (permitida apenas a prática de atividades físicas individuais); a realização de eventos, festas, rodas de samba, em áreas públicas e particulares; feiras (exceto as de produtos alimentícios), exposições, congressos e seminários.

– Quero falar para os atores econômicos, aqueles que estão passando por dificuldade. Sabemos que o momento é difícil,  mas isso aí é para chegar a um estágio que se permita abrir na sexta-feira e não fique nesse vai e volta.  Sei que é duro para cada atividade econômica. Não estou minimizando a dor e sofrimento de quem tem que manter o negócio aberto ou de pessoas que procuram emprego. Isso é o que mais me mobiliza e me preocupa. Mas entre isso e a vida, vamos ficar com as vidas. Medidas restritivas estão trazendo resultados – afirmou Paes.

Seguem proibidos a entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município, exceto para os que prestam serviços regulares para funcionários de empresas ou para hotéis; e o estacionamento de veículos automotores em toda a orla marítima, liberados apenas para moradores, idosos, pessoas com deficiência, hóspedes de hotéis e táxis. Não haverá fechamento das pistas de rolamento das avenidas Delfim Moreira, Vieira Souto e Atlântica e do Aterro do Flamengo para área de lazer.

Já as atividades econômicas consideradas essenciais e que já estavam liberadas no decreto anterior, como mercados, farmácias, serviços ou lojas de assistência e produtos veterinários, bancos e lotéricas, entre outros, seguem liberadas nas condições e horários já praticados. Lembrando que todos os estabelecimentos devem respeitar as medidas de proteção à vida para a faixa de risco muito alto, estabelecidas na Resolução Conjunta SES/SMS nº 871.

A Prefeitura mantém a fiscalização para coibir o descumprimento das medidas de proteção à vida. Ações integradas desde o dia 15 de janeiro entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa-Rio), a Guarda Municipal e a Defesa Civil já passaram por 63 bairros, contabilizando 874 inspeções em estabelecimentos, 573 infrações sanitárias e 177 interdições.

– RETOMADA DAS ATIVIDADES

Segunda (dia 5) – Escolas; Administração Pública (das 8h às 17h).

Sexta (dia 9) – Bares, lanchonetes, restaurantes, quiosques da orla e congêneres poderão receber clientes sentados às mesas, até as 21h, com tolerância de 1h para efetivo encerramento do atendimento. Após esse horário, só sistema drive-thru e fica vedado atendimento presencial ou consumo no local.

Demais estabelecimentos e serviços seguem horários específicos.

Clubes sociais e esportivos, acesso a áreas de lazer e recreação – de 11h às 21h.

Museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de festa, salas de apresentação, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil, parques de diversões, temáticos e aquáticos, pistas de patinação, atividades de entretenimento, visitações turísticas, exposições de arte, aquários e jardim zoológico – das 12h às 21h.

Demais atividades de prestação de serviços – das 12h às 21h.

Demais atividades comerciais, das 10h às 18h.

Atividades no interior de shopping e centros comerciais deverão funcionar observando as restrições de horário.

– SEGUEM PROIBIDOS

Boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculo.

Atividades econômicas nas areias das praias, incluindo ambulantes.

Comércio exercido em feiras especiais, feiras de ambulantes, feiras de antiquários e feirartes.

Também continuam vetadas a permanência de pessoas nas vias, áreas e praças das 23h às 5h, e nas areias das praias, em parques e cachoeiras, em qualquer horário.

Prática de atividades físicas coletivas em praias e praças ou áreas particulares (permitida apenas a prática de atividades físicas individuais).

Realização de eventos, festas, rodas de samba, em áreas públicas e particulares; feiras (exceto as de produtos alimentícios), exposições, congressos e seminários.

Entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município.

Estacionamento de veículos automotores na orla marítima.

13º Boletim Epidemiológico da Covid-19

A 13ª edição do Boletim Epidemiológico da Covid-19 mostrou que o município do Rio registra, desde o início da pandemia, 227.790 casos da doença, com 20.687 óbitos. A taxa de letalidade está em 9,1% e a incidência, em 3.419,6 por 100 mil habitantes. A mortalidade pela covid-19 na cidade é de 310,6/100 mil. A média móvel de casos segue em tendência de alta, assim como a média móvel dos óbitos. A boa notícia é que a curva dos atendimentos de casos de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave já começa a apresentar queda.

Nesta semana, foram identificados nove casos de novas variantes do coronavírus no Rio, seis deles em residentes do município. No total, já são 192 casos na cidade, sendo 151 de moradores, dos quais 143 são da variante brasileira (P.1) e oito da britânica (B.1.1.7). Dos moradores infectados pelas novas cepas, 16 faleceram, três permanecem internados e 132 já foram considerados curados.

Compra de doses da vacina Sputinik V

O Prefeito Eduardo Paes também informou na manhã desta sexta-feira que negocia a compra de oito milhões de doses da vacina russa Sputinik V. O imunizante está em análise na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

– Ontem (quinta-feira) estive em contato com representantes do Consórcio do Nordeste para a compra de oito milhões de doses da Sputinik para a cidade do Rio. Esse é mais um esforço para que possamos acelerar o processo de vacinação na cidade. Queremos que o Rio seja marcado como um exemplo de recuperação dessa doença – informou o prefeito do Rio, que ressaltou a necessidade de finalizar os trâmites legais para a aquisição do imunizante.

Mais de um milhão de doses de vacina aplicadas 

As unidades da Secretaria Municipal de Saúde já vacinaram 799.921 pessoas com pelo menos a primeira dose da CoronaVac ou da Oxford/AstraZeneca. Entre primeira e segunda, já foram mais de um milhão de doses aplicadas na cidade. A cobertura chega a 11,9% da população. Considerando somente os idosos, já são 53,3% deles vacinados com pelo menos a primeira dose de uma das duas vacinas. A vacinação na cidade continuou a ser realizada no período do recesso sanitário, sem interrupções, e mesmo neste feriado da Sexta-feira da Paixão não será interrompida, com atendimento aos idosos de 67 anos.

Nesta semana, a Prefeitura do Rio anunciou dois novos calendários de vacinação, além do cronograma dos idosos que segue em andamento. Até o dia 25 de abril, todas as pessoas a partir de 60 anos já terão tido oportunidade de se vacinar nos mais de 250 pontos espalhados por toda a cidade. Nas próximas duas semanas, quando serão vacinados os idosos de 66 a 62 anos, paralelamente também serão imunizados os profissionais de saúde de 59 a 50 anos. Médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, farmacêuticos, dentistas, fonoaudiólogos, veterinários, entre outros, deverão apresentar os documentos de seus conselhos de classe.

Já a partir do dia 26 de abril, depois que todas as faixas etárias de idosos já tiverem sido atendidas, será iniciado o calendário unificado das Prefeituras do Rio, de Maricá, de Niterói e de Itaguaí. Até 29 de maio serão atendidas as pessoas com idade entre 59 e 45 anos que façam parte dos seguintes grupos prioritários: portadores de comorbidades ou deficiência permanente, trabalhadores da saúde (funcionários não assistenciais de estabelecimentos de saúde), educação, serviços de limpeza urbana, policiais civis e militares, guardas municipais, bombeiros e agentes penitenciários em atividade (apresentando comprovante, como, por exemplo, o contracheque).

Os critérios de prioridade adotados pelos municípios são, pela ordem: idade (sempre os mais velhos na frente) e grupos considerados mais vulneráveis às complicações da doença ou mais expostos ao contato com o vírus. As comorbidades consideradas para a vacinação, que deverão obedecer a tabela de idade, são aquelas incluídas na lista do Programa Nacional de Imunizações (PNI): diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave. O portador dessas comorbidades deverá apresentar atestado de seu médico confirmando a condição de saúde.

Para facilitar o acesso da população, no momento em que outros grupos prioritários são incluídos nos calendários de vacinação, a Prefeitura do Rio abriu esta semana cinco novos pontos de vacinação com funcionamento de segunda a sexta-feira, no Jockey Club Brasileiro (Gávea), no Hotel Fairmont Copacabana; no Museu da Justiça (Centro), na Cidade das Artes (Barra da Tijuca) e no Museu do Amanhã (Centro). Na próxima terça-feira (06), às 8h, será inaugurado mais um posto, no Cacique de Ramos.

Neste sábado (03), os postos de vacinação atenderão pessoas com 67 anos ou mais nos seguintes horários: clínicas da familia e centros municipais de saúde, das 8h às 17h; Museu da República (Catete) e Paróquia Nossa Senhora do Rosário (Leme), das 8h às 15h; quartéis do Corpo de Bombeiros de Humaitá, Copacabana e Barra da Tijuca (Busca e Salvamento, das 8h ao meio-dia; drive-thru da Cidade Universitária da UFRJ (Ilha do Fundão), do Parque Madureira, do Parque Olímpico (Barra) e do Sambódromo (Santo Cristo), das 8h às 15h; drive-thru do Engenhão (Engenho de Dentro), das 8h às 14h.

Já de segunda a sexta-feira, os postos de vacinação funcionam das 8h às 17h nas clínicas da família e centros municipais de saúde, no Planetário da Gávea, no Tijuca Tênis Clube, no Museu da República (Catete), na Paróquia Nossa Senhora do Rosário (Leme), na Casa Firjan (Botafogo), no Jockey Club Brasileiro (Gávea), no Hotel Fairmont Copacabana, no  Museu da Justiça (Centro), na Cidade das Artes (Barra da Tijuca), no Museu do Amanhã (Centro), no Cacique de Ramos (a partir de terça-feira) e nos três quartéis do Corpo de Bombeiros. Os postos drive-thru do Parque Olímpico, do Engenhão e do Sambódromo também funcionam nos dias úteis das 9h às 15h.

 

Rede municipal retoma aulas presenciais na próxima semana

  • 2 de abril de 2021