Prefeitura entrega filtros de água e kits de higiene no Complexo da Penha

Publicado em 03/07/2020 - 16:02 | Atualizado em 03/07/2020 - 16:16
As famílias da Terra Prometida e Mangueirinha foram beneficiadas com a ação. - Foto: Divulgação/ Prefeitura

A Prefeitura do Rio, por meio do programa Territórios Sociais, realizou, nos dias 1º e 2 de julho, a entrega de filtros de água e kits de higiene para 120 famílias vulneráveis das comunidades Terra Prometida e Mangueirinha, no Complexo da Penha. A ação teve como objetivo facilitar o acesso de algumas famílias mais carentes do município aos serviços públicos e à água potável e de qualidade.

As famílias receberam atendimento dos técnicos das secretarias de Saúde e Assistência Social. Entre os serviços oferecidos estava a vacinação contra gripe, para o grupo de risco da Covid-19, e a vacina Acwy para crianças de 11 e 12 anos, que garante a imunização contra a Meningite.

A entrega dos insumos foi realizada após uma série de atendimentos, que orientaram sobre a qualidade da água própria para o consumo humano e medidas preventivas de saúde. Todas as famílias contempladas se encontravam dentro dos pré-requisitos do programa: alto grau de vulnerabilidade no Índice de Pobreza Multidimensional.

Andréa Pulici, coordenadora de projetos especiais do Instituto Pereira Passos (IPP) e integrante do comitê gestor do programa destacou a importância de levar para estas famílias a possibilidade de utilização de água filtrada.

– O acesso à água filtrada, principalmente para famílias com crianças, previne graves infecções intestinais que podem levar a desidratação. Em comunidades mais vulneráveis muitas vezes o acesso à água não é através da rede geral, o que agrava o problema – afirma Andréa.

As famílias vulneráveis e o acesso à água filtrada

Na primeira etapa do programa em 2017, anterior aos Grandes Complexos, 65% das 1.205 famílias identificadas pelo Programa Territórios Sociais como “invisíveis” – que não têm acesso aos serviços públicos oferecidos – não possuíam filtro de água. Nesse mesmo universo de 1.205 famílias, 39% consumiam água não proveniente de rede. Na segunda etapa, das 1.119 famílias identificadas, 75% não possuíam filtro, e 34% consumiam água não proveniente de rede.

Pensando nesse alto índice e entendendo a importância do acesso à água de qualidade para a redução das vulnerabilidades sociais, o Programa Territórios Sociais apoiou a formação de um grupo de trabalho transversal para incentivar o consumo de água filtrada (GTT Filtros), integrado por técnicos do IPP, da Rio-Águas e da Secretaria de Educação, com apoio do escritório Nudge Rio.

Luis Fernando Valverde Salandía, Coordenador de Articulação Institucional do IPP e integrante do GTT Filtros, afirma que o uso de água potável ainda é um desafio nas grandes cidades, o que afeta ainda mais a população das comunidades.

– O Programa prioriza o incentivo a filtragem de água para o consumo doméstico nas residências de alto risco ou de extrema pobreza nas suas áreas de atuação. É preciso monitorar e incentivar o uso do filtro de água e ter esta informação como insumo para a formulação de políticas públicas que permitam alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU – diz o coordenador.

Mais de dois mil filtros já foram distribuídos pelo programa desde 2017 e estão facilitando o acesso de centenas de famílias à água filtrada nas áreas de baixo Índice de Desenvolvimento Social (IDS) da cidade.

Sobre o Programa

Territórios Sociais é uma iniciativa da Prefeitura do Rio, com apoio do ONU-Habitat, que trabalha identificando e monitorando famílias com os menores índices de desenvolvimento social em 10 complexos de favelas da cidade: Alemão, Maré, Chapadão, Pedreira, Vila Kennedy, Lins, Penha, Cidade de Deus, Jacarezinho e Rocinha. Os agentes de campo contratados pelo programa visitam todas as casas dos territórios aplicando um questionário criado de acordo com o Índice de Pobreza Multidimensional da ONU, que aponta as famílias que sofrem privações graves nas áreas de Saúde, Educação e Padrão de Vida.

Outras ações emergenciais já foram implementadas para acompanhar os territórios durante a pandemia: uma delas é a distribuição de cestas básicas de alimentação e kits de higiene para as famílias que possuem pelo menos um integrante no grupo de risco da Covid-19. Para isso, o programa contou com a parceria de algumas instituições, como a Unicef que realizou a doação dos kits de higiene para atender as famílias identificadas. Até agora, o programa já realizou a entrega de 2.947 cestas e 3.145 kits de higiene em todos os complexos de favelas atendidos.

As equipes de Territórios Sociais realizaram, ainda, mais de nove mil ligações com o objetivo de identificar vulnerabilidades no contexto da pandemia e orientar sobre a Covid-19. Além disso, as técnicas de Territórios Sociais, vinculadas à Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, também estão fazendo atendimento telefônico às famílias: realizando os encaminhamentos necessários e inserindo-as no Cadastro Único para Programas Sociais, que possibilita o acesso a diversos programas e benefícios, dentre eles, os de transferência de renda.