Prefeitura decreta luto oficial por mortos em tragédia no Líbano e oferece ajuda com médicos e remédios

Publicado em 05/08/2020 - 14:01 | Atualizado em 06/08/2020 - 16:04
Beirute, a capital do país, é cidade irmã do Rio desde 2018, e colônia libanesa tem forte influência entre cariocas. Foto: Divulgação

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decretou nesta quarta-feira, 05/08, luto oficial de três dias na cidade em homenagem aos mortos na explosão ocorrida ontem em Beirute, no Líbano. Em solenidade no Palácio da Cidade, em Botafogo, com a presença do cônsul geral do Líbano, Alejandro Bitar, e de representantes da enorme colônia libanesa no Rio, Crivella ofereceu ajuda, com sugestão de envio de médicos da rede municipal de saúde e também de remédios para ajudar no tratamento dos milhares de feridos.

– Nós estamos prestando essa homenagem ao Líbano porque o Rio de Janeiro, desde o século 19, recebeu muitos libaneses que vieram aqui morar e nos ajudar a construir a nossa cidade. Somos a segunda maior colônia de libaneses no Brasil e no mundo. Estamos unidos nessa ajuda para que aquele país supere essa tragédia terrível – disse Crivella.

A secretária municipal de saúde, Beatriz Busch, está em contato com o consulado libanês para viabilizar a ajuda humanitária do Rio para Beirute. A ideia é enviar cirurgião, anestesiologista ou ortopedista, especialidades médicas importantes no cuidado dos feridos. O Rio pretende mandar também, o mais rápido possível, medicamentos, como antibióticos e analgésicos. O envio da ajuda vai depender da viabilização com as autoridades libanesas, e as conversas estão sendo conduzidas nesse sentido.

Em 2018, Rio e Beirute, a capital do Líbano, assinaram acordo que as tornou cidades irmãs. A presença da cultura libanesa é forte entre os cariocas, e sua influência se estende à gastronomia, ao comércio e a diversos outros segmentos.

– Hoje choramos juntos essa tragédia ocorrida no Líbano, esperamos que nos abracemos com alegria no futuro – disse o cônsul Bitar.