Prefeitura anuncia fretamento de aviões da Latam em esforço para buscar respiradores na China

Publicado em 27/04/2020 - 18:59 | Atualizado em 28/04/2020 - 09:25
Prefeitura conversa com o Ministério da Saúde para receber 40 respiradores do governo federal. - Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta segunda-feira (27/04) esperar a qualquer momento a autorização para a liberação de dois voos da Latam contratados em esforço da Prefeitura para acelerar a busca de 160 toneladas de equipamentos na China. Na carga, haverá 300 respiradores, 400 monitores e 70 carrinhos de anestesia, fundamentais ao tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus.

– Assinamos o contrato no fim de semana e estamos aguardando o número dos voos e a autorização de voo não só da China, mas também nos países por onde ele vai passar nesse trajeto Guangzhou – Rio de Janeiro – disse o prefeito, reforçando que mais 30 toneladas de aparelhos já foram embarcadas em navio para atender o município.

Luta pelos respiradores

Crivella disse ainda que a Prefeitura passou o dia de hoje em conversas com o Ministério da Saúde para receber 40 respiradores do governo federal. O prefeito ressaltou que persiste a tentativa, por via judicial, para obter os outros 80 respiradores comprados em 2019 da empresa Magnamed em São Paulo, que ela inicialmente informou equivocadamente terem sido arrestados pela União.

– Nós estamos não só em contato com o ministro da Saúde, mas com a Justiça do Rio de Janeiro para conseguir uma sentença, quem sabe de arresto, ou um acordo com o Ministério da Saúde para conseguir ao menos uma parte dos respiradores – disse.

Medidas de afastamento social serão mantidas

O prefeito fez um apelo para que a população continue em isolamento, sobretudo aqueles que têm comorbidades. Até obter mais respiradores, a Prefeitura não tem prazo para qualquer afrouxamento nas medidas de afastamento social.

– Se conseguirmos ao menos 40 respiradores, será possível abrir mais 40 leitos de UTI e, com esses, abrimos mais 400 de retaguarda na enfermaria – explicou.

Feiras livres voltarão a funcionar sob condições

Ainda segundo Crivella, as feiras livres do município poderão voltar a funcionar se cumprirem medidas determinadas pela Prefeitura. A decisão foi tomada de comum acordo com os feirantes, que se comprometeram a seguir as orientações para evitar a propagação do vírus.

– Esse acordo foi estudado com eles e neste momento está na Procuradoria Geral do Município e na Vigilância Sanitária. Amanhã devemos assinar o acordo pelo qual as feiras poderão voltar a funcionar, desde que respeitando as medidas que evitem a aglomeração – disse.

Entre as regras, estão, por exemplo, o uso de máscara de proteção e de jaleco; a manutenção de recipientes com álcool 70% nas barracas; e o distanciamento seguro entre elas.

Insumos para costureiras

O gabinete de crise estuda ainda criar uma janela de abertura para o comércio de tecidos, linhas e agulhas, como forma de garantir que costureiras possam comprar os insumos para a produção de máscaras.

– Quando as pessoas são abordadas e estão sem máscaras elas dizem que não têm como produzi-las. A Prefeitura está doando máscaras, mas são mais de 6 milhões de habitantes na cidade e, por isso, é importante esse suporte do comércio de tecidos. Mas é em tempo determinado e nas áreas próximas das costureiras – afirmou Crivella.

Os dias e horários serão discutidos amanhã, em reunião com o sindicato que representa a categoria.

Prefeitura faz obras emergenciais em policlínicas das zonas Norte e Oeste para instalar tomógrafos