Prefeitura anuncia abertura total dos 880 leitos destinados ao tratamento de coronavírus na cidade

Publicado em 25/05/2020 - 17:20 | Atualizado
Leitos do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla Foto: Mariana Ramos/Prefeitura do RioPrefeitura abrirá 95 leitos de UTI destinados a pacientes da Covid-19 .Foto: Mariana Ramos/Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta segunda-feira, 25/05, que, já a partir desta semana, estarão disponíveis todos os 880 leitos abertos pela Prefeitura para o tratamento de pacientes com Covid-19. Esses leitos serão distribuídos nas duas unidades de referência para o tratamento da doença: o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, e o Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro.

– Estamos falando de 880 leitos somente nessas duas unidades, o que para nós é algo que temos a celebrar, nessa tragédia toda que temos a lamentar – afirmou Crivella, durante entrevista à imprensa no Riocentro, onde funciona o gabinete de crise.

Ajustes concluídos no Painel Rio Covid-19

O prefeito declarou também que já foram feitos os ajustes antes anunciados no Painel Rio Covid-19, com informações sobre vítimas da doença, para tornar mais transparente a informação dos óbitos na cidade provocados pelo novo coronavírus. A partir de agora será divulgado diariamente o número de sepultamentos nos cemitérios cariocas de pessoas que tenham como causa confirmada da morte a Covid-19.

A secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch, explicou que a nova metodologia é a melhor para dar fidelidade à apuração das mortes por Covid, e ressaltou que informar corretamente sobre isso é uma preocupação da Prefeitura.

– Todos os dados de óbitos que hoje são enviados ao governo federal continuam, porque envolvem, além da Prefeitura, o Estado e a rede privada. A mudança feita no painel é para dar mais transparência a esses dados. A informação dos cartórios leva até 60 dias para chegar até nós. O dado mais próximo e fidedigno de quem faleceu hoje, ou há dois dias, é o de sepultamento nos nossos cemitérios. É esse dado que vamos passar a informar, sem prejuízo dos dados nacionais. Hoje sabemos quantas pessoas são sepultadas por dia e quantas dessas certidões de óbito emitidas pelos cartórios trazem Covid-19 como causa da morte – disse Beatriz Busch.

Treinos dos times de futebol

Em reunião no domingo entre o prefeito e representantes dos clubes de futebol profissional do Rio, ficou acertado que agora em maio estão autorizadas somente as atividades de fisioterapia dos atletas, inclusive com bola.

Treinos técnicos e táticos, como coletivos e os chamados “rachões”, só serão permitidos, provavelmente, na segunda quinzena de junho.

– Quero agradecer pela compreensão dos clubes, porque não será possível voltar com os treinos em maio. Ficou para a segunda quinzena de junho. O que eles vão fazer agora é a fisioterapia. Os atletas precisam se manter em forma, porque daqui a pouco volta o campeonato. E nos países onde o campeonato está voltando, não houve preparação com fisioterapia, e muitos jogadores estão apresentando lesões – disse Crivella.

Afastamento social, mas aceno ao futuro com volta gradual às atividades da economia

O prefeito Crivella informou que as medidas de isolamento social estão mantidas, e é preciso que a população continue evitando ir às ruas, usando máscaras se tiver que sair de casa e fazendo toda a higiene corretamente. Crivella acrescentou, contudo, que a Prefeitura já planeja como será o retorno gradual às atividades.

Já nesta semana a Prefeitura começará a divulgar os protocolos das chamadas “regras de ouro”, com orientações dos órgãos de controle sanitário a empresas dos setores regulados da economia. Isso, para que já possam se preparar para retomar suas atividades futuramente.

Esse planejamento está sendo feito com suporte da comunidade científica e também de empresários. Crivella citou como exemplos de segmentos que poderão retornar primeiro os de lojas de venda de móveis e o de concessionárias de carros, porque não geram aglomeração.

– A expectativa nossa é abrir aos poucos: lentamente, gradualmente. Não temos expectativa de fechar mais, de impedir mais atividades. Há um otimismo em nós todos. Há um alento, porque temos tido muitas altas nos hospitais. Nós dominamos a pandemia, não entramos no caos. Graças aos equipamentos que vieram, e esta semana estão chegando mais respiradores, temos tranquilidade para poder abrir as atividades com leitos suficientes para atender a todos que precisarem – declarou o prefeito.

Funcionamento de templos religiosos

Crivella informou ainda que um decreto publicado nesta segunda-feira sobre o funcionamento de templos religiosos de qualquer crença apenas confirma o que a Prefeitura já vinha informando: estão todos liberados para funcionar, pois se trata de uma atividade essencial, desde que seguindo as regras de distanciamento social e com uso de máscaras.