Pacientes do Hospital de Campanha ganham “Certificado: Eu venci a covid-19” ao receberem alta

Publicado em 19/05/2020 - 16:32 | Atualizado
Paciente Francisco Maurício Silveira Silva venceu a Covid-19 e ganhou seu certificado. Foto: Divulgação / PrefeituraPaciente Francisco Maurício Silveira Silva venceu a Covid-19 e ganhou seu certificado. Foto: Divulgação / Prefeitura
Em meio à pandemia e a uma doença que causa tanta angústia e incertezas, para doentes e suas famílias, uma ação de humanização do Hospital de Campanha da Prefeitura (HCamp), no Riocentro, vem marcando a alta dos pacientes como uma vitória. Literalmente! Entre a documentação médica e com as orientações que recebe ao deixar a unidade, o paciente ganha o “Certificado: Eu venci a covid-19”. Um documento simbólico, mas de grande significação para marcar a recuperação e a retomada da vida após o coronavírus.

– É uma ação de humanização, para dizer ao paciente que ele é um vitorioso. Como os aplausos que os profissionais dão ao se despedir dele, o ‘Certificado: Eu venci a covid-19’ marca essa vitória e será levado para casa para lembrá-lo sempre de que ele lutou bravamente contra o coronavírus e se recuperou – diz a diretora-geral do HCamp, Dra. Valesca Antunes Marques, que assina os diplomas.

E os certificados têm feito sucesso entre os pacientes, que os exibem com orgulho na saída do hospital. Seu Jorge Cláudio Rodrigues Chaves, de 60 anos, fez os sinais de resistência e vitória ao receber o seu na quinta-feira (14). Andrea Dias Loureiro, 42, saiu com o seu na sexta-feira (15); dona Marieta Marques Santos, 75, no sábado (16); Fernando da Silva, 59, no domingo (17); Paulo da Silveira Viana, 61, na segunda-feira (18); e seu Francisco Maurício Silveira Silva, 54, nesta terça-feira (19). Para alguns pacientes, o significado do certificado é tão grande, que vai virar objeto de decoração, para ficar exposto para todos os que entrarem em casa.

– Graças a Deus deu tudo certo. Pedi muito, orei muito por isso, e Deus ouviu minhas preces. Mais uma vez meu pai está de volta. Isso aqui [o certificado] vale muito. Vou fazer um quadro e colocar na parede da sala! – disse Jaqueline Silva, ao buscar seu pai, Amaro Leocádio da Silva, de 65 anos, no Hospital de Campanha, no dia 11. Seu Amaro foi o paciente 01 da unidade, chegando de ambulância ao local no dia 1º de maio.

Os certificados começaram a ser emitidos na semana passada e, somente no sábado (16) e no domingo (17), foram 17 entregues, número de pessoas que, após vencer a fase crítica da covid-19, puderam deixar o hospital no fim de semana e voltar para suas famílias. Os primeiros pacientes que receberam alta do HCamp, antes do início da emissão dos certificados, estão recebendo os seus em casa. Afinal, são também vencedores. Leandro Cosme dos Santos, de 34 anos, por exemplo, primeiro paciente a deixar a unidade, no dia 5 de maio, recebeu o seu diploma no dia 13, das mãos da diretora do Centro Municipal de Saúde Milton Fontes Magarão, Márcia Lima, que foi a sua casa, na Piedade, ver como estava a recuperação pós-alta.

– Este certificado vai marcar o resto da minha vida e, toda vez que eu olhar para ele, vou lembrar o quanto sou vitorioso. Ele vai virar um quadro e ficar ali na parede – disse Leandro, que deixou um recado para as pessoas que, como ele, não acreditavam na gravidade do coronavírus, até ficar doente:

– Eu não levava a sério essa doença, não lavava as mãos direito, não usava máscara, não tomava as precauções, e acabei pegando e ficando muito mal. É horrível não conseguir respirar, graças a Deus fui muito bem tratado, tanto na UPA do Engenho de Dentro quanto no Hospital de Campanha, que tem nível de primeiro mundo. Hoje eu queria pedir a todos que se cuidem, se previnam, que se não tiverem nada urgente pra fazer na rua, que fiquem em casa, para não passar o mesmo que eu passei. Os médicos, os enfermeiros e os governos têm feito tudo para salvar vidas, mas se a gente não fizer por onde, não se cuidar, o esforço deles vai ser em vão.