Mulheres Inspiradoras: Gerente da Rio-Águas conta como é comandar grandes obras na cidade

Publicado em 06/03/2020 - 15:15 | Atualizado em 08/03/2020 - 10:49
Bianca BaldezBianca Baldez, gerente da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara da Rio-Águas. Fotos Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

Vitória ainda era um bebê quando a engenheira Bianca Baldez, após aprovação em concurso, foi chamada para assumir a fiscalização de obras pela Secretaria Municipal de Habitação da Prefeitura do Rio e participar de projetos como a urbanização do Complexo do Alemão e da Colônia Juliano Moreira. Mas para ela não é mistério algum conciliar maternidade e vida profissional, e, 13 anos depois, filha e trabalho são dois motivos de orgulho para a servidora que, desde 2015, trabalha na Fundação Rio-Águas e é fonte de inspiração às vésperas do Dia Internacional da Mulher (08/03). Atualmente, ela é gerente da Bacia Hidrográfica da Baía de Guanabara.

Bianca, que é formada em Engenharia Civil com ênfase em Estruturas e tem mestrado em Geotecnia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), também atuou na área de desapropriação quando passou pela Habitação. Uma de suas ações foi na Vila Autódromo, Zona Oeste da Cidade. Desde que chegou à Rio-Águas tem atuado em grandes obras, como a execução do maior túnel de drenagem urbana do Brasil, para desvio do Rio Joana, entregue pela Prefeitura em abril do ano passado à população da Grande Tijuca.

– O trabalho de drenagem está diretamente ligado à saúde e ao bem-estar. Ele atinge muitos lugares pobres, onde geralmente há sujeira. É fundamental levar qualidade de vida para a população – afirma Bianca.

 

Pensar no cidadão é algo motivador para a servidora, que sempre teve a engenharia como primeira opção de carreira:

– É um trabalho árduo. Chego cedo, saio tarde. A maioria das áreas onde atuo é insalubre. Mas é gratificante participar de uma obra como a do Rio Joana, na qual você vê de tudo: tem implosão de rocha, escavação – conta Bianca, que desde o colégio tinha facilidade para cálculos e números. – Sempre pensei em engenharia, meu pai trabalhava com reforma. E eu era boa aluna em exatas, gostava muito de física, matemática. Foi fácil escolher.

 

Bianca está na Rio-Águas desde 2015. Foto: Mariana Ramos / Prefeitura do Rio

 

No ano passado, a engenheira recebeu o prêmio Gestor Efetivo pela Rio-Águas, promovido pelo Instituto Fundação João Goulart, entre líderes cariocas do município. Uma homenagem importante para quem se dedica à cidade antes mesmo de ser servidora pública. Bianca começou na engenharia fazendo estágio em uma empresa que prestava serviço para o município, no programa Favela Bairro. Ela conta que foi trabalhar no Morro da Serrinha, em 1997. Já formada, assinou contrato e comandou obras em várias comunidades, como Formiga, Borel, Jacarezinho e São João, na Zona Norte. Em 2004, fez concurso e, em 2008, tomou posse na Prefeitura.

Ser gerente e liderar equipes, muitas vezes formadas apenas por homens, não é um tabu para Bianca:

– Na faculdade eram poucas alunas mulheres em sala. No mestrado, em 2013, já notei uma mudança. E, hoje em dia, vejo mulheres trabalhando em campo. No Rio Joana elas estavam virando massa, armando ferragem. Numa posição de chefia, muitas vezes é necessário se impor, subir o tom, e isso não depende se os envolvidos são homens ou mulheres.

* Mulheres Inspiradoras é uma série de cinco reportagens com servidoras da Prefeitura e será publicada até domingo (08/03), Dia Internacional da Mulher 

 

Mulheres Inspiradoras: cirurgiã plástica do Souza Aguiar colocou o Rio na vanguarda do tratamento de queimados

Mulheres Inspiradoras: Para servidora, quem oferece ajuda voluntária é o maior beneficiado

Mulheres Inspiradoras: Professora traz mais afeto para alunos com atividades de acolhimento

Mulheres Inspiradoras: Comandante à frente de uma tropa com mais de 7.500 guardas municipais