Idosos contratados por intermédio da Prefeitura recebem material para trabalhar no Carnaval

Publicado em 03/02/2020 - 13:46 | Atualizado em 03/02/2020 - 13:50
Ex-vendedor de uma loja de pneus, Cláudio Diniz, de 70 anos: "Me sinto útil novamente". Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

O secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel, e o presidente da Riotur, Marcelo Alves, entregaram nesta segunda-feira (03/2), no Palácio da Cidade, o material (caixa térmica de isopor, colete, boné e guarda-sol) e credenciais para os últimos 70 ambulantes – boa parte deles, idosos – que vão trabalhar no Carnaval. Foram abertas 750 vagas para pessoas com 60 anos ou mais. Os demais já receberam o mesmo kit.

Os 750 idosos estão entre os 10 mil vendedores sem pontos fixos que atuarão no Carnaval, através da empresa Dream Factory, que venceu a concorrência e está encarregada das contratações. A empresa Apresenta Rio ajudou nas negociações entre o Governo Municipal e a Dream Factory para a criação de vagas para idoso.

 

O material que os idosos vão usar nos blocos foi distribuído para 70 ambulantes nesta segunda-feira. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

 

Os idosos vão trabalhar durante a passagem dos blocos de rua

Felipe Michel destacou que a experiência de trabalho dos contratados foi levada em consideração pelas empresas.

– É um grupo com experiência, disciplina, cheio de energia e vontade de trabalhar. As empresas têm que aproveitar esta chance e contratá-los – disse Felipe Michel.

“Vocês são mais que vendedores, são bons anfitriões”

Marcelo Alves também exaltou a atuação dos idosos

– Vocês são mais que vendedores, são bons anfitriões. E vão contribuir para uma boa prestação de serviço aos turistas. O Rio é a única cidade do mundo com capacidade de organizar um evento para 7 milhões de pessoas. E vocês fazem parte dessa organização – comentou Alves.

Idosos comemoram a oportunidade

O grupo contratado poderá atuar somente nos blocos, da concentração à dispersão, até o dia 1º de março. Eles próprios comprarão os produtos que venderão e o gelo.

Ex-vendedor de uma loja de pneus, Cláudio Diniz, de 70 anos, voltará a trabalhar pela primeira vez após mais de duas décadas.

– Velho parado é sinônimo de vários tipos de doenças, principalmente a depressão. Voltar a uma atividade de trabalho é uma alegria. Até que enfim, uma administração vem lembrando da gente. Eu me sinto útil novamente – comemorou Cláudio, morador de Irajá, na Zona Norte.

Vanda Gonçalves, de 75 anos, lembrou que os idosos podem atuar até como guias turísticos.

 

Vanda Gonçalves, de 75 anos, lembrou que os idosos podem atuar até como guias turísticos. “Conhecemos a cidade com a palma da mão”. Foto: Marcelo Piu/ Prefeitura do Rio

 

– Conhecemos a cidade toda, como a palma da mão, somos responsáveis e com disposição semelhante à dos jovens para trabalhar – comentou Vanda, que mora em Madureira.

Quais as regras que os vendedores precisam obedecer?

Para atuar nos blocos, os ambulantes terão que obedecer a várias regras, entre elas: não usar garrafas de vidro; não permanecer em pontos fixos; não vender, emprestar ou alugar os kits de trabalho e não comercializar seus produtos fora dos blocos.