‘Chegou a minha vez’. Funcionários do COR vibram com avanço na vacinação contra a Covid-19

Publicado em 14/05/2021 - 09:00 | Atualizado em 14/05/2021 - 14:24
Vacinados: Luis Machado , Raimundo Leonardo e Marcos Gentil - Jorge Pex / Prefeitura do Rio

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 no município, a rotina de trabalho de alguns colaboradores do Centro de Operações Rio começa a retornar, aos poucos, à normalidade. Nas últimas semanas, funcionários dos órgãos que integram o quartel-general de ações urbanas da cidade passaram a ser imunizados e a retomar suas atividades presenciais com mais segurança, mas sem deixar de lado, claro, todos os cuidados ainda impostos pela pandemia.

Com 42 anos de prefeitura, sendo os quatro últimos dedicados ao COR, o coordenador de Infraestrutura e Logística, Raimundo Leonardo, de 64 anos, elogiou o atendimento recebido no posto de saúde e deu um recado para quem está na fila de espera:

– Fui muito bem atendido, tudo muito rápido e não senti nada. Agora eu posso dizer que me sinto mais seguro e que as pessoas devem aproveitar essa oportunidade para se vacinar.

Na Defesa Civil, além de prevenir a população contra desastres, a equipe também não mede esforços para combater a Covid-19. O técnico Luis Machado, 64 anos, atua no COR há cinco anos e recebeu a vacina em um posto de saúde no Centro da cidade. Ele lembrou que, mesmo vacinado, é preciso continuar tomando certos cuidados e colaborar com a população:

– É muito bom saber que estou imunizado, mas sei que é preciso continuar me prevenindo, mantendo os cuidados necessários, como o uso de álcool em gel, lavar as mãos e o uso da máscara.

 

O engenheiro Sérgio Soares – Jorge Pex / Prefeitura do Rio

 

O engenheiro Sérgio Soares, 62 anos, revelou apreensão e alívio pela sua família:

– Eu estava ansioso pelos meus netos que vivem comigo, pois tinha medo de passar para eles. Tomei a primeira dose e, agora, é continuar me cuidando ainda mais, já que tenho diabetes e hipertensão. Não posso vacilar.

Outro funcionário do COR, com mais de 60 anos, que também foi vacinado é o assessor de coordenação de Infraestrutura e Logística, Marcos Gentil. Aos 61 anos, Gentil não escondeu a felicidade e, ao mesmo tempo, a preocupação com a família.

– Eu estava no Méier com minha filha e ela ficou sabendo que tinha aberto um novo posto no Imperator. Como estávamos por perto, resolvemos aproveitar a oportunidade. Foi uma situação muito aguardada, e confesso que estava ansioso, mas se eu tivesse a oportunidade daria a minha vez para a minha filha – disse, emocionado.

 

O coordenador-geral administrativo do COR, Antônio Schreiner – Jorge Pex / Prefeitura do Rio

 

A emoção e a esperança também tomaram conta do coordenador-geral administrativo do COR, Antônio Schreiner, 53 anos, que faz parte do grupo de pessoas com comorbidade. Imunizado no Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau, na Cidade Nova, ele destacou que o momento é de reforçar a importância da imunização e da prevenção.

– Fiquei muito feliz no dia em que tomei a vacina. Perdi alguns amigos para esse vírus maldito. Tenho fé que em breve todos receberão a vacina – comentou.

De acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), divulgado pelo Ministério da Saúde, pessoas com comorbidades fazem parte de um dos grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19. Dados atualizados do Painel Rio Covid-19 da Prefeitura do Rio revelam que mais de 25% da população carioca já tomou a primeira dose da vacina e o percentual de idosos com 60 anos ou mais com a primeira dose é superior a 96%.

Outras informações sobre calendário de vacinação, grupos prioritários, comorbidades incluídas na lista do PNI, documentação exigida e os locais de vacinação estão disponíveis no site https://coronavirus.rio/vacina/.

  • 14 de maio de 2021