Dez anos da implosão do Elevado da Perimetral: o início da revitalização da Região Portuária

Publicado em 24/11/2023 - 14:34 | Atualizado em 24/11/2023 - 14:41
  • Início/
  • /
  • Dez anos da implosão do Elevado da Perimetral: o início da revitalização da Região Portuária
O Museu do Amanhã se tornou um ícone da Região Portuária - Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

No dia 24 de novembro de 2013, a Prefeitura do Rio iniciava um dos projetos mais ambiciosos de revitalização urbana na cidade: a implosão do Elevado da Perimetral para a criação do hoje conhecido Porto Maravilha. Em dez anos do projeto de recuperação da Região Portuária do Rio, o carioca ganhou novas opções de lazer, cultura e mobilidade urbana. E, em breve, também terá oportunidades de estudar e morar na área central da cidade.

Para gerir e fiscalizar o projeto do Porto Maravilha, numa área total de 5 milhões de metros quadrados, a Prefeitura criou a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), atual Companhia Carioca de Parceria e Investimentos (CCPar). Em dez anos, o setor privado já investiu mais de R$ 8,9 bilhões na região, gerando mais de 30 mil empregos diretos e indiretos na construção civil.

O projeto do Porto Maravilha já trouxe 70 km de vias reurbanizadas e 650 mil metros quadrados de calçadas refeitas; 700 km de redes de infraestrutura urbana reconstruída (água, esgoto e drenagem); 17 km de novas ciclovias e 15 mil árvores. Conheça abaixo as principais intervenções presentes no projeto de revitalização da região central do Rio.

Museus

Localizado na Praça Mauá, o Museu de Arte do Rio (MAR) foi inaugurado no dia 1º de março de 2013, antes da implosão do Elevado da Perimetral. São dois prédios de perfis heterogêneos interligados por uma ponte sob uma bela laje sustentada por pilotis: o palacete Dom João VI, tombado, que abriga salas de exposição, e o edifício vizinho, de estilo modernista, originalmente um terminal rodoviário, onde está instalada a Escola do Olhar. O MAR apresenta as mais diversas exposições.

Ícone da Região Portuária e âncora cultural do projeto de revitalização da área central da cidade, o Museu do Amanhã, inaugurado pela Prefeitura no dia 19 de dezembro de 2015, explora possibilidades de construção do futuro por meio de suas exposições e eventos. Projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava sobre a Baía de Guanabara no Píer Mauá, o museu se transformou num dos novos cartões postais do Rio. Visitá-lo é uma experiência de encontro da ciência com a arte.

Orla Conde

Com 3,5 km de extensão e 287 mil metros quadrados, o boulevard, chamado de Orla Conde, é um calçadão às margens da Baía de Guanabara. Batizada em homenagem ao ex-prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde, ela se estende pelo Centro e pelos bairros da Gamboa e Saúde. Inaugurada de forma gradual entre 2015 e 2017, a Orla Conde substituiu parte da Avenida Rodrigues Alves. É ao longo dela que estão localizados o Museu do Amanhã e o MAR, o AquaRio, a Roda-Gigante Yup Star e as praças Mauá e XV.

Cais do Valongo

Declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2017 e reconhecido como principal cais de desembarque de escravizados do continente, o Cais do Valongo foi redescoberto durante as obras da Prefeitura de revitalização da Região Portuária em 2011. Nesta semana, o governo municipal entregou as obras de valorização do cais. Nesta fase atual de intervenções, o espaço recebeu um novo guarda-corpo, iluminação cênica, sinalização informativa no padrão mundial da Unesco e a exposição artística “Valongo, Cais de Ancestralidades” que conta a história do sítio arqueológico e sua relação com o território da Pequena África.

Mobilidade

Em junho de 2016, a Prefeitura inaugurou a primeira etapa do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). Atualmente, são três linhas, com 28 km de extensão e 29 paradas. Ele integra todos os meios de transporte do Centro e da Região Portuária: barcas, metrô, trem, ônibus, rodoviária, aeroporto, teleférico, terminal de cruzeiros marítimos e, futuramente, o BRT Transbrasil.

Atualmente, o VLT está em expansão até o Terminal Intermodal Gentileza (TIG), que está em construção na região do Gasômetro. O TIG vai unir também o sistema BRT e 22 linhas de ônibus convencionais, permitindo a baldeação dos passageiros.

A Região Portuária também passou a contar com um novo complexo de vias e túneis. A Via Binária do Porto foi inaugurada no dia 2 de novembro de 2013 e faz a ligação da Rodoviária Novo Rio à Avenida Rio Branco. O Túnel Rio450 foi inaugurado no dia 1º de março de 2015 e ganhou esse nome em homenagem ao aniversário de 450 anos da cidade. Com 1.480 metros, ele foi o primeiro a ser construído abaixo do nível do mar. Em outubro de 2013, foi inaugurado o Túnel Nina Rabha, sob o Morro da Saúde, próximo à Cidade do Samba.

Após a implosão do Elevado da Perimetral, a Avenida Rodrigues Alves deu espaço à Via Expressa, parte pelo Túnel Prefeito Marcello Alencar, parte na superfície. Aberta totalmente ao trânsito em julho de 2016, ela faz a ligação do Aterro do Flamengo com a Avenida Brasil e a Ponte Rio-Niterói, em 6.847 metros de extensão.

Moradia

Com a chegada de grandes empresas, oferta de novos incentivos fiscais e lançamento dos empreendimentos residenciais, a Região Portuária vivencia o crescimento da população e da economia. Desde 2021, já foram lançadas aproximadamente seis mil unidades residenciais na área, em seis empreendimentos, sendo que 70% das unidades já se encontram vendidas.

Educação

Outra frente de investimentos na região é o Hub Maravalley. Por meio de incentivos da Prefeitura, a área abrigará o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e um HUB de tecnologia. Cem porcento dos alunos serão bolsistas. O IMPA estreará o primeiro curso de graduação da instituição na Zona Portuária. O Maravalley terá um espaço de dez mil metros quadrados para o uso das empresas, startups e alunos do curso de graduação.

  • 24 de novembro de 2023
  • Pular para o conteúdo