Coronavírus: Prefeitura avalia qualidade do ar do Hospital de Campanha

Publicado em 30/04/2020 - 19:53 | Atualizado
As análises das amostras coletadas servirão ainda para certificação de que não há bactérias, fungos e outras impurezas no ar. Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses, adotou nesta quinta-feira, 30/04, medidas para conferir a qualidade do ar do Hospital de Campanha, no Riocentro, que será inaugurado nesta sexta, 1° de maio. A convite da pasta, a Associação Brasileira de Refrigeração Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava) de São Paulo enviou um técnico para coletar amostras para a análise da renovação do ar e a medição de índices como os de temperatura, que pode variar de 21 a 23 graus.

O material será usado também para conferir o hidróxido de carbono e a umidade do ar, que deve ser mantida entre 30 e 60%, de acordo com parâmetros da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As análises das amostras coletadas em 18 pontos do hospital servirão ainda para certificação de que não há bactérias, fungos e outras impurezas no ar, com o laudo completo saindo em alguns dias.

– O monitoramento da qualidade do ar é uma das muitas de nossas missões. Esta ação é feita no dia a dia nas inspeções nos sistemas de climatização e foi intensificada por conta da pandemia. Com foco nas condições higiênico-sanitárias, atuamos aqui no Hospital de Campanha há mais de um mês, verificando o ar em áreas como o centro cirúrgico, a sala de esterilização, a UTI e as enfermarias, e também a parte de armazenamento e o gerenciamento de resíduos. E contar com a análise da Abrava será muito importante para a Vigilância, que está cuidando até do cardápio dos pacientes e da força de trabalho – destacou Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária.

O coordenador de Engenharia da Vigilância Sanitária, engenheiro João Telles, que acompanha o projeto de construção do hospital desde o início, ressaltou a importância de todos os estabelecimentos da cidade repensarem os seus planos de gerenciamento e controle de operação do sistema de ar-condicionado, em especial, neste período de pandemia.

– É crucial que esses planos sejam revistos para evitar a disseminação do coronavírus. É preciso que toda a manutenção esteja em dia, com os filtros substituídos regularmente. Essa uma das ações de prevenção importantíssima para reduzirmos as chances de contágio desse novo vírus – alertou João Telles.

Além da Coordenação de Engenharia, a Vigilância Sanitária vem atuando no projeto de construção do hospital como um todo, conferindo as várias etapas de execução e orientando sobre as normas higiênico-sanitárias a serem cumpridas para que a unidade funcione a pleno vapor, de acordo com todas as regras sanitárias previstas por órgãos como a Anvisa.