Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica tem três exposições

Publicado em 05/07/2019 - 12:57 | Atualizado
  • Início/
  • /
  • Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica tem três exposições
Visitas ao Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica podem ser feitas, gratuitamente, de segunda a sábado. Foto: Divulgação CMAHO

Três exposições estão em cartaz até o dia 27 deste mês no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica (CMAHO), próximo à Praça Tiradentes: Sutur Ar Libert Ar, que reúne pinturas da artista Marcela Cantuária; Nome Próprio, também pinturas, da artista suíço-haitiana Sasha Huber; e Em Posições de Dança, com telas, vídeos e fotos de 2017 a 2019, dos artistas luso-brasileiros Paulo Aureliano da mata e Tales Frey.

O CMAHO fica na Rua Rua Luis de Camões, 68, antigo Centro de Arte da Secretaria Municipal de Cultura. As obras podem ser visitadas gratuitamente, de segunda-feira à sábado, de 12h às 18h. Maiores informações pelo telefone 2242-1012.

Saiba um pouco sobre as exposições.

  • Sutur Ar/ Libert Ar – Reúne  pinturas produzidas nos últimos três anos, com enfoque que tem como tema, da ruína e a transformação. No decorrer de sua pesquisa, tanto teórica quanto em documentos históricos, fotografias, manifestos e jornais, Marcela Cantuária recolhe referências que acionam as dicotomias capitalismo/socialismo e individualismo/coletividade.
  • Nome Próprio – A partir do questionamento da história de alguns personagens e lugares celebrados pela memória coletiva, Sasha Huber, a exposição é acompanhada de debates, laboratórios, visitas guiadas e workshops.
  • Em Posições de Dança: está pautada no cruzamento entre a performance, o vídeo, a fotografia, o objeto e a documentação de movimentos, captados pelos expositores.

Localizado no entorno da Praça Tiradentes, o Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica fica situado em um edifício histórico, de  estilo neoclássico, construído para sediar o Conservatório de Música.  Inaugurado em 1872, o prédio foi ampliado 18 anos mais tarde, com a anexação de dois imóveis, sob orientação do arquiteto italiano Sante Bucciarelli, quando recebeu o desenho atual. O CMAHO, inaugurado em 1996 para abrigar parte do acervo de obras do artista Hélio Oiticica, manteve ao longo de sua existência uma forte característica de centro cultural, sediando exposições de grandes artistas brasileiros e estrangeiros e apoiando suas produções mais recentes.  

No final dos anos 2000 o acervo de Oiticica foi transferido para outro local. Atualmente o CMAHO é um espaço de encontro de diversos públicos, conectado com o território ao seu redor por meio da Rede Tiradentes Cultural. A memória da instituição, composta por documentos, fotos, vídeos e textos, pode ser consultada, mediante agendamento prévio, na charmosa Sala de Pesquisa, cujo precioso acervo conta, também, com publicações voltadas para a arte contemporânea e áreas afins, editadas pelo CMAHO ou doadas por parceiros, disponíveis para consulta do público.

Categoria: Cidade

5 de julho de 2019