Parcerias poderão beneficiar jovens atendidos pela SMASDH

Publicado em 18/09/2019 - 20:12 | Atualizado

O Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), João Mendes de Jesus, reuniu-se, na sede do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), com Wilson Coury, diretor de Desenvolvimento Humano do Serpro, e com Cida Abreu, gestora administrativa de Projetos e Programas do Instituto Afro Brasileiro Ubuntu (Iabuntu). No decorrer do encontro, eles conversaram sobre a possibilidade de se firmar parceria, de forma que 90 alunos dos Complexos do Alemão e Chapadão se especializem por meio de cursos da área de Tecnologia da Informação (TI).

João Vitor Ribeiro de Araújo, de 20 anos, disse que essa é uma oportunidade não só pra ele, mas para todos os jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social, em várias comunidades carentes do Rio. Ele se identificou com as palestras, especialmente a de um funcionário da empresa que superou todos os obstáculos e dificuldades da vida, e hoje é um funcionário federal.

“Como não tive muito proveito na vida, eu também tive oportunidade para entrar pra vida do crime. Hoje estou aqui tentando procurar o meu melhor, e ver o que eu faço daqui pra frente” — disse o jovem que é morador da Comunidade de Chico Mendes, no Complexo do Chapadão.

A parceria do Serpro vai beneficiar não só jovens atendidos pelos equipamentos da Assistência Social, mas a ideia é que esta parceria se firme também com a Secretaria Municipal de Educação.  Wilson Coury falou sobre o assunto.

“A ideia é que a gente treine professores da rede pública de ensino, de tal maneira que em cada escola pública a gente consiga multiplicar esse modelo de ter uma grade que começa na 5ª série, indo até a 9ª série, formando programadores, dando emprego e conhecimento para que eles possam ser úteis à sociedade, de poderem conseguir seus primeiros empregos” — disse o diretor, ressaltando que o curso será aplicado pela plataforma Conecta do Serpro, que vai começar com dois cursos introdutórios, de base, para depois aprofundar em outros cursos.

Wilson Coury disse ainda que, levando o conteúdo de forma adequada com objetos educacionais, que permitam o aprendizado, é possível formar os profissionais do futuro.

Cida Abreu, gestora administrativa de Projetos e Programas do Iabuntu, disse que esses cursos vão impactar na vida desses jovens que vivem em situação de vulnerabilidade. “A gente busca que essa nova geração, nos próximos 10 anos, estejam preparadas e aptas para ocupar espaço nesse novo mercado de trabalho” — disse a gestora explicando que a porta de entrada é o Cras e os cadastros do NIS, sendo que os cursos vão trazer mudança do mercado de trabalho, de pessoas assistidas pela Secretaria.

“A Secretaria tem um norte, sendo que o nosso norte é cuidar das pessoas, porque é a vocação da Assistência Social e Direitos Humanos. Lutamos, sobretudo, para amparar todos os cidadãos que se encontram em situação de vulnerabilidade e por isto que firmamos parcerias, a exemplo do Serpro e Iabuntu. Esperamos que os 90 jovens sigam o caminho do trabalho e que sejam importantes para sociedade por muitas décadas” — conclui João Mendes de Jesus.