Cem jovens são certificados para o mundo do trabalho

Publicado em 20/07/2019 - 18:55 | Atualizado

Parceria acontece entre SMASDH, Instituto Saber e Acordo de Cooperação para o Combate ao Trabalho Infantil.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) realizou, no Colégio Ana de Barros Câmara, em Coelho Neto, na Zona Norte do Rio de Janeiro, a entrega de certificados para 100 jovens pela conclusão das oficinas do Projeto Mediação para o Mundo do Trabalho, coordenado pelo Instituto de Aprendizagem Saber.

Os adolescentes são acompanhados pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros Especializados de Assistência Social (CREAS), da 6ª Coordenadoria de Assistência Social e Direitos Humanos. Os bairros atendidos por estas oficinas foram Pavuna, Costa Barros, Anchieta, Irajá, Colégio, Vista Alegre, Vila da Penha, Vila Kosmos, Vicente de Carvalho, Cavalcanti, Vaz Lobo, Parque Columbia, Acari e Barros Filho, todos na Zona Norte da cidade.

O Projeto Mediação para o Mundo do Trabalho é uma parceria dos órgãos que compõem o Acordo de Cooperação para o Combate ao Trabalho Infantil no estado do Rio de Janeiro, do qual a SMASDH é signatária, com algumas entidades especializadas na formação de jovens para o aprendizado. Em breve a iniciativa será ampliada para outras regiões da cidade.

O Instituto de Aprendizagem Saber, instituição sem fins lucrativos, promove a inserção de jovens no mundo do trabalho, por meio de treinamentos gratuitos. A realização do projeto preconiza servir como ferramenta para que o jovem possa identificar suas potencialidades, superar limites e se qualificar para inserção no mundo do trabalho.

Além, de envolver a família neste processo e profissionais para tratar de questões como risco, vulnerabilidade, exclusão social, resgate de autoestima, escolarização, redução da violência, geração de renda e oportunidades.

Na cerimônia a mesa foi composta pela coordenadora do Acordo de Cooperação para o Trabalho Infantil, Glória Mello, o diretor executivo do Instituto Brasileiro de Aprendizagem Saber, Marcos Bragança, a coordenadora da 6° Coordenadoria de Assistência Social e Direitos Humanos, da SMASDH, Sidneia Bello, o assistente social da SMASDH, Deildo dos Santos.

Na abertura do evento, adolescentes do Programa Orquestra nas Escolas, da Secretaria Municipal de Educação (SME) se apresentaram com canções como “Primavera”, “Asa Branca”e “Carinhoso”, além de grupos de poesias com dissertação de obras autorais, alegrando ainda mais os presentes.

O Secretário da SMASDH, João Mendes de Jesus, ficou emocionado com a formatura, e disse que ao ver aqueles jovens se lembra de sua juventude quando buscava se qualificar com empenho em estudos. “Garantir a inclusão dos jovens no mundo do trabalho tem sido um dos maiores desafios do Brasil da pós-modernidade, hoje estamos vivenciando um momento impar no enfrentamento deste desafio, oportunizando a estes jovens a possibilidade de se apropriar de conhecimentos relativos à relação entre trabalho e cidadania, promovendo auto conhecimento”- afirma o secretário.

O diretor do Instituto Saber, Marcos Bragança também falou sobre a cerimônia. “Estou profundamente emocionado. Meu pai morreu como almirante, mas os pais dele morreram analfabetos, a mãe dele era lavadeira e, meu avô, operário de obra. Eu digo para vocês que não estou fazendo nenhum favor em estar aqui, apenas estou retribuindo o que a vida me deu”- afirma.

Para Glória Mello foi muito bom ver tantos talentos. “Agradeço a estes meninos e as estes professores. Fiquei emocionada com a apresentação e ver o talento que desabrocha em todos os lugares. Esta é uma tarde muito especial para as entidades que formam a rede para o combate ao trabalho infantil. Visando oportunidades, desenvolvimento e projetos de vida para os nossos jovens”- comemora.

Patrick Amorim, de 18 anos, conta que foi um dos fundadores do curso no CRAS Acari. “Estou apto e capacitado, aprendi muito. Sei como me portar, falar, vestir e estou decidido a buscar um trabalho com minhas qualificações ou engrenar na carreira militar – conta o rapaz.

Fabricio Nascimento, de 13 anos, assistido pelo CRAS Pavuna está no sexto ano do ensino fundamental e levou como presente para o secretário João Mendes um quadro pintado por ele, no qual retrata a comunidade em que vive. Ele diz que fica feliz quando as pessoas falam que seus desenhos são bonitos e tem na professora de artes a sua maior incentivadora. O adolescente conta ainda que pensa em trabalhar com desenhos quando crescer.