Contratos suspeitos entre gestão anterior da Prefeitura e Fundação Roberto Marinho ganham repercussão

A Avenida Niemeyer interditadaA Avenida Niemeyer interditada. Fotos Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, em entrevista exclusiva nesta quinta-feira ao “Jornal do Rio”, da TV Bandeirantes, falou sobre a necessidade de reabertura da Avenida Niemeyer e, ainda, sobre contratos suspeitos entre a gestão anterior da Prefeitura e a Fundação Roberto Marinho. A reportagem também foi reproduzida na programação da rádio Band News.

Assista no Twitter: https://twitter.com/Prefeitura_Rio/status/1162172851081949184

Na entrevista, Crivella lembrou que existem contratos sem licitação, feitos na gestão anterior: “Agora, se nós formos levantar obras sem licitação na prefeitura do Rio, nós vamos encontrar no governo passado R$ 300 milhões feitos pela Fundação Roberto Marinho, em obras que vão de projetos de arquitetura, calculo estrutural, em que não me constam que a fundação tenha pleno saber para ficar livre da licitação que deveria ter sido feita. Há algumas obras, contratos que foram dados a eles, que já no primeiro mês tiveram um termo aditivo adiantando os pagamentos que deveriam ter sido feitos em 24 meses e passaram a ser, com quatro meses, 70% do valor. São coisas que nós realmente ficamos surpresos e nós encaminhamos ao ministério público, que imediatamente aceitou a denuncia e abriu um processo.”

http://noticias.prefeitura.rio/cidade/prefeitura-abrira-sindicancia-para-apurar-regularidade-de-contratacoes-sem-licitacao/

http://noticias.prefeitura.rio/habitacao/justica-determina-inspecao-para-avaliar-reabertura-da-avenida-niemeyer/