Seminário abre 2ª Semana ‘Rio Sem Drogas’, com ações de prevenção e reinserção social

Publicado em 26/06/2019 - 14:34 | Atualizado em 26/06/2019 - 17:22
O sambista Tico do Gato dá depoimento emocionado sobre a luta que trava ao lado do filho, dependente químico em recuperação. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do RioO sambista Tico do Gato dá depoimento emocionado sobre a luta que trava ao lado do filho, dependente químico em recuperação. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, abriu nesta quarta-feira, 26 de junho, no Palácio da Cidade, em Botafogo, o seminário que deu início à 2a Semana Rio Sem Drogas. O evento, organizado pela Coordenadoria de Políticas Antidrogas da Prefeitura, reúne especialistas no assunto e promove capacitação para profissionais de instituições e comunidades terapêuticas que trabalham na recuperação e na reinserção social de usuários de álcool e drogas.

– A vitória contra as drogas é possível. E o trabalho das comunidades terapêuticas é fundamental. A melhor mensagem que a Prefeitura pode dar à cidade é a de que estamos de portas abertas, com vencedores, àqueles que também queiram vencer a luta contra as drogas – discursou Crivella.

A data de abertura do seminário é também a que se celebra o Dia Internacional de Combate às Drogas, instituído pelo Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC). No cenário municipal, o enfoque é dado, principalmente, a três aspectos: prevenção, atenção e reinserção.

– Nós abraçamos na cidade a ideia das comunidades terapêuticas. Construímos um código de atividade e fizemos uma portaria para regulamentar o licenciamento sanitário. Hoje, com alegria, vemos que há 23 comunidades terapêuticas com licenciamento sanitário no Rio, e funcionando para ajudar pessoas na luta contra as drogas – destacou a subsecretária municipal de Vigilância Sanitária, Márcia Rolim.

Eventos em Copacabana e Madureira

Cidinho Mendes canta no Palácio da Cidade música que compôs em homenagem à luta antidrogas. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio
Cidinho Mendes canta no Palácio da Cidade música que compôs em homenagem à luta antidrogas. Foto: Marcelo Piu / Prefeitura do Rio

As ações para chamar a atenção da sociedade para a luta antidrogas incluem ainda uma caminhada na Orla de Copacabana, no próximo domingo, dia 30, das 10h às 13h (do Posto 5 ao 3), e um evento de encerramento no domingo seguinte, dia 6 de julho, das 9h às 13h, no Parque de Madureira.

– A droga é uma doença que não tem cura, e sozinho ninguém consegue sair. Esse apoio da Prefeitura às instituições representa muito para a gente. Meu filho hoje está em tratamento, e tomara que ele consiga se resgatar – disse o sambista, cantor e compositor Tico do Gato, emocionado ao relatar o drama pessoal que vive com o filho, dependente de drogas.

A música tema da caminhada em Copacabana, cujo objetivo é mobilizar mais e mais pessoas a participar da prevenção às drogas e da promoção da saúde, foi composta por um ex-usuário, o cantor Cidinho Mendes, há 14 anos livre dos entorpecentes. Em “Filhos da Terra”, ele faz a convocação: “Vem, entre comigo nessa guerra para salvar os filhos desta terra”.

– Uma das maiores preocupações nossas este ano tem sido apoiar ações de atenção e acolhimento de usuários de drogas que ficam na Avenida Brasil. Quando começamos a atuar ali, havia mais de 200 pessoas nessa situação, e hoje isso caiu a só 10%, em torno de 20 a 25. Temos uma equipe comprometida em ajudar essas pessoas e estamos obtendo resultados favoráveis – disse o coordenador de políticas antidrogas da Prefeitura do Rio, Douglas Manassés.