Adote.Rio: estátua de Carlson Gracie, mestre do jiu-jitsu, é inaugurada em Copacabana

Publicado em 12/08/2019 - 16:22 | Atualizado
Estátua de Carlson Gracie, em tamanho natural, homenageia o mestre do jiu-jitsu na Praça Shimon Peres, em Copacabana. Foto: Edvaldo Reis / Prefeitura do RioEstátua de Carlson Gracie, em tamanho natural, homenageia o mestre do jiu-jitsu na Praça Shimon Peres, em Copacabana. Foto: Edvaldo Reis / Prefeitura do Rio

Copacabana tem agora uma estátua em tamanho natural do mestre do jiu-jitsu Carlson Gracie. A escultura, feita pelo artista plástico Edgar Duvivier, fica na Praça Shimon Peres, na esquina das ruas Figueiredo de Magalhães e Tonelero, próximo à estação de metrô Siqueira Campos. O local foi escolhido para a homenagem por ser o endereço da primeira academia de Gracie, um dos maiores nomes das artes marciais de todos os tempos. Falecido em 2006, ele completaria 87 anos nesta segunda-feira, 12 de agosto, dia dia da inauguração.

Carlson Gracie foi o responsável pela popularização do jiu-jitsu no Brasil e no mundo. Precursor, seja como lutador ou treinador, dos grandes duelos de Vale Tudo (hoje Artes Marciais Mistas, ou MMA, na sigla em inglês), ele criou a maior legião de faixas-pretas da história dessa arte marcial. De sua academia, na Rua Figueiredo Magalhães, saíram muitos campeões de MMA.

Interação com a estátua

A ideia de Edgar Duvivier foi criar uma interação entre o monumento e o visitante. Por isso, a mão da estátua está na posição do tradicional cumprimento da equipe, o aperto de mãos com os dedos entrelaçados. Assim, o visitante terá a oportunidade fazer uma foto cumprimentando o mestre Carlson.

A ideia de instalar a estátua na Praça Shimon Peres foi abraçada pelo projeto Adote.Rio, da Fundação Parques e Jardins, subordinada à Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos. O custo com a construção do monumento coube a alunos e amigos de Carlson do mundo inteiro, que se uniram para viabilizar financeiramente a homenagem. Além de ganhar a estátua, que certamente vai virar ponto turístico, a praça foi revitalizada.

– É  um orgulho poder entregar essa estátua, que levou dez anos para nascer. Carlson Gracie é um ícone do esporte. Gostaria também de agradecer todas as melhorias que foram feitas na praça – disse Fernando Gonzalez, presidente da Fundação Parques e Jardins.

O irmão de Carlson, Robson Gracie, ficou emocionado com a quantidade de pessoas que compareceram à inauguração da estátua:

– Carlson é um herói nacional, ninguém no mundo fez o que ele fez. Somos respeitados no mundo todo.

O humorista Sérgio Mallandro, um dos primeiros alunos de Carlson Gracie, lembrou de como tudo começou:

– Fui o quinto aluno do Carlson. A gente pagava o primeiro mês, depois não pagava mais nada. Ele era muito generoso, e queria aluno, não dinheiro. Além de ser nosso grande Mestre, era nosso parceiro. Este é um momento histórico – contou.

O secretário municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel, representou o prefeito Marcelo Crivella. E revelou como o mestre fez parte também da sua história particular:

– Comecei minha vida de atleta aos 4 anos, com o jiu-jitsu, e continuei por sete anos. Carlson foi meu grande incentivador. Com o esporte, aprendi disciplina, respeito, caráter. Carlson é uma lenda do esporte nacional e merece todas as homenagens – resumiu o secretário.

Saiba mais sobre o Adote.Rio

O Adote.Rio foi lançado pela Fundação Parques e Jardins em dezembro de 2018. O objetivo da plataforma digital é estabelecer parcerias com pessoas físicas, empresas, associações de moradores e demais segmentos da sociedade para que praças públicas, jardins e áreas verdes sejam preservados. O programa estimula a apropriação dos espaços públicos pelos cidadãos (qualquer pessoa pode se candidatar a ser adotante) e promove o melhor uso desses locais.

De janeiro a abril deste ano, 267 adoções já foram efetivadas por meio do portal. Atualmente, a cidade do Rio soma 1,5 milhão de metros quadrados de áreas adotadas, o equivalente a três Quintas da Boa Vista. Entre outros locais potencialmente adotáveis, estão 2.200 praças urbanizadas, 36 parques urbanos, 1.300 monumentos e chafarizes e 450 quilômetros de ciclovia.

Outras reportagens