Efetivo do Rio+Seguro será ampliado em 20% nos bairros de Copacabana e Leme

Publicado em 10/01/2020 - 19:42 | Atualizado em 10/01/2020 - 19:57
Agentes do Rio+Seguro. Foto: Divulgação / Guarda MunicipalAgentes do Rio+Seguro. Foto: Divulgação / Guarda Municipal

A Prefeitura do Rio de Janeiro vai ampliar em 20% o efetivo do Rio+Seguro que atende os bairros de Copacabana e Leme. Segundo o secretário municipal de Ordem Pública, Gutemberg de Paula Fonseca, o programa – criado há dois anos e pioneiro ao unir segurança pública a ações de ordenamento dos órgãos municipais – irá passar dos atuais 360 para 430 agentes.

– Uma mostra da ideia bem-sucedida do prefeito Marcelo Crivella ao criar o Rio+Seguro, em dezembro de 2017. O programa é completo na questão de ordem pública, pois junta o apoio à segurança pública – proporcionado pela contratação de policiais militares em folga – com a integração dos serviços de conservação e fiscalização realizados por dez órgãos da Prefeitura. De tão certo, será expandido ainda para Jacarepaguá e Campo Grande, na Zona Oeste, a partir deste mês – explicou.

Conduzido pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), o Rio+Seguro apresenta um conceito amplo de segurança. Guardas municipais e policiais militares – contratados na folga pela Prefeitura do Rio – atuam no patrulhamento diário e em ações conjuntas de ordenamento urbano, envolvendo diversos órgãos municipais.

Do início, em dezembro de 2017, até o fim do ano passado, foram registradas em Copacabana e Leme 987 prisões e 526 apreensões de crianças e adolescentes em flagrante. O número de foragidos da Justiça capturados chegou a 200.

Zona Oeste

Na nova etapa o programa deve empregar efetivo de 840 agentes, divididos em turnos, em Jacarepaguá e Campo Grande. A estimativa de investimento é de R$ 3,8 milhões, custeados pelo Fundo Especial de Ordem Pública (Feop).