Vigilância Sanitária interdita supermercado na Central do Brasil por falta de higiene

Publicado em 24/01/2020 - 18:53 | Atualizado em 24/01/2020 - 19:14
Supermercado estava em péssimas condições de higiene. Foto: Nelson Duarte | Divulgação

Sujeira, mau cheiro e itens fora da validade foram alguma das irregularidades constatadas por fiscais da Subsecretaria de Vigilância Sanitária do Rio na inspeção realizada no supermercado da Praça Cristiano Ottoni, na Central do Brasil, nesta quinta-feira, 23. Após denúncia, técnicos seguiram para a fiscalização que resultou na interdição do estabelecimento e na aplicação de três multas por total falta de higiene, comercialização de produtos impróprios ao consumo e equipamentos com temperatura inadequada. Além das péssimas condições, o local havia recebido um termo de intimação por não cumprir as exigências das normas sanitárias identificadas em vistoria anterior.

– O estabelecimento tem um histórico bem ruim. Ao conferir o termo de intimação que estava em aberto, a equipe constatou que o supermercado não tinha cumprido o termo emitido na vistoria anterior e acabou aplicando outro. Para reabrir, eles terão que solicitar a desinterdição à prefeitura. E o consumidor que observar o funcionamento do estabelecimento pode e deve denunciar – recomenda a médica-veterinária Aline Borges, coordenadora de Alimentos da Vigilância.

Problemas recorrentes – Essa não é a primeira vez que o supermercado foi interditado. Em 2017, o estabelecimento foi fechado pelas mesmas irregularidades. Na época, os fiscais encontraram cerca de duas toneladas de produtos vencidos, o que resultou também em interdição e multas.

Denuncie – Em caso de irregularidades como as do estabelecimento da Central do Brasil, a Vigilância Sanitária orienta a população que formalize a denúncia na Central 1746, da Prefeitura do Rio.