Subvisa capacita GMs sobre a operação Vigilância no Verão, que começa segunda, 9

Publicado em 04/12/2019 - 13:46 | Atualizado em 05/12/2019 - 13:48
Vigilância faz inspeção prévia na roda gigante da região portuária

A Guarda Municipal do Rio (GM-Rio) recebeu nesta terça-feira, dia 3, a médica-veterinária Fátima Dias, da Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa), para uma ação especial de capacitação. Uma turma de 90 GMs de diversas unidades e grupamentos recebeu conhecimentos sobre a atuação de fiscais que, de olho na prevenção de riscos à saúde pública, estarão atuando em praias das zonas Sul e Oeste a partir da próxima segunda, 9, até 15 de fevereiro de 2020. É mais uma edição da operação Vigilância no Verão, em reforço às ações de segurança realizadas nas praias por diversos órgãos da Prefeitura do Rio, como a Guarda.

Durante a atividade, Fátima Dias falou como funcionam as operações e as áreas de atuação da Subvisa, detalhando o que as equipes vão fiscalizar, entre eles, os procedimentos higiênico-sanitários adotados por estabelecimentos como hotéis, restaurantes, padarias, quiosques e barracas de praia de ambulantes legalizados. Os vendedores ambulantes sem registro ficam fora da inspeção da Vigilância, que vai conferir até o uso de canudos plásticos, proibido no Rio desde julho de 2018, por projeto de lei inédito no Brasil sancionado pelo prefeito Marcelo Crivella.

A médica-veterinária orientou os GMs sobre a apresentação dos fiscais sanitários, que só podem atuar com o uso obrigatório de crachás e documentos de identificação e colete com o nome e o número de matrícula.

Tudo para a Vigilância oferecer um serviço de qualidade à população, que desde 2017, com a chegada da subsecretária Márcia Rolim, vem priorizando a transparência nas ações. Pode parecer detalhes, mas nesta época a cidade recebe muitos turistas, é período de férias escolares e também de muitos eventos. Por isso, é muito importante todos estarem de olho em tudo, na higiene dos locais, dos funcionários e dos alimentos, na rotulagem completa e até nas temperaturas de conservação dos produtos – orientou Fátima Dias, terminando a palestra informando que, segundo a Organização Mundial de Saúde, a falta de higiene provoca mais de 250 tipos de doenças, sendo o principal problema de saúde pública no mundo.